A lista

A lista

postado em 04/05/2017 00:00
Quem são os 22 presos condenados na Lava-Jato que ainda não tiveram julgamento na segunda instância

Adir Assad
Adir Assad, empresário e lobista, investigado como operador de propina pela Lava-Jato, no escândalo da transposição do São Francisco, nas operações Saqueador e Que país é este e como beneficiário do setor de operações estruturadas da Odebrecht.

Antônio Palloci
Ex-ministro de Lula e de Dilma, coordenador das campanhas petistas em 2002 e 2010. Denunciado por corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro.

André Vargas
Ex-vice-presidente da Câmara, foi condenado, em um primeiro momento, a 14 anos e 4 meses de reclusão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Em abril de 2017, foi novamente condenado a 4 anos e 6 meses por lavagem de dinheiro.

Bruno Luz
Preso na 38; fase da Lava-Jato, foi denunciado por corrupção e lavagem por atuar na contratação do navio-sonda Petrobras 10.000, que rendeu propina de US$ 15 milhões a políticos do PMDB e a funcionários da estatal.

Carlos de Carvalho Miranda
O pernambucano é sócio de Sérgio Cabral na SCF Comunicação, a empresa de comunicação que Cabral criou em 2003 com as iniciais do próprio nome. É apontado como o homem da mala de dinheiro entregue pela Andrade Gutierrez ao ex-governador.

Eduardo Cunha
Ex-presidente da Câmara, foi condenado a 15 anos e 4 meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e evasão.

Flavio Henrique Macedo
Um dos donos da Credencial Construtora Empreendimentos e Representações, é acusado de ter montado empresa para viabilizar o pagamento de propina a Dirceu.

João Augusto Rezende Henriques

Foi preso em meio à 19; fase da Lava-Jato, cujo nome é Ninguém Dorme, acusado de ser lobista do PMDB com forte influência na diretoria internacional da Petrobras, pois era próximo do ex-diretor Jorge Zelada.

João Vaccari Neto

Ex-tesoureiro do PT, a primeira condenação foi a 15 anos e 4 meses de prisão por corrupção, lavagem e associação criminosa. Depois, voltou a ser condenado a 6 anos e 8 meses por corrupção passiva.

Gim Argello
Ex-senador pelo PTB, foi condenado a 19 anos de prisão por corrupção passiva, lavagem e obstrução à investigação.

Jorge Luz
Foi denunciado por corrupção e lavagem por ter atuado na contratação de navio-sonda.

Jorge Zelada
Ex-diretor internacional da Petrobras, foi condenado a quatro anos por fraude em licitação e a 12 anos pelos crimes de corrupção passiva e lavagem.

José Antunes Sobrinho

Ex-diretor da Engevix, é suspeito de repassar R$ 765 mil para o ex-presidente da Eletronuclear vice-almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva. Perdeu o direito à prisão domiciliar em decisão do habeas corpus.

Pedro Correa
Ex-presidente do PP, foi condenado anteriormente no esquema do mensalão. No Petrolão, foi condenado a 20 anos por lavagem de dinheiro.

Raul Schmidt

O cidadão português Raul Schmidt é lobista e acusado de operar a distribuição de dinheiro de propinas aos ex-diretores da Petrobras Jorge Zelada, Renato Duque e Nestor Cerveró.

Renato Duque

Ex-diretor de serviços da Petrobras, foi condenado a mais de 40 anos de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Rene Luiz Pereira
Traficante e doleiro, foi a primeira condenação da Lava-Jato: 14 anos por tráfico de drogas, lavagem de dinheiro e evasão de divisas

Rodrigo Duran
Advogado, foi preso em Madri, suspeito de ser um dos operadores das offshores criadas pelo ;departamento de propina da Odebrecht;, que teria recebido R$ 36 milhões de empreiteiras investigadas na Lava-Jato, entre elas, a UTC e Mendes Júnior.

Sergio Cabral
Ex-governador do Rio, é réu sete vezes por corrupção passiva, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e por chefiar uma organização criminosa para fraudar licitações.

Sleiman Nassin El Kobrossy
Também conhecido como Salomão, é acusado de atuar no mercado negro de câmbio para pagamento de cocaína na Bolívia.

Wilson Carlos
Ex-secretário de governo de Sérgio Cabral, é ligado a um esquema de propina nas obras do Comperj, Arco Metropolitano e urbanização no Conjunto de Favelas de Manguinhos.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação