Do editor

Do editor

postado em 03/09/2017 00:00
Que garotinha nunca sonhou em ser bailarina? Poucas, porém, têm a disciplina, a dedicação e, sobretudo, a disposição para enfrentar a falta de incentivo e fazer do balé clássico uma profissão. E quando o assunto é dança urbana, hip-hop e tantos outros ritmos modernos, então, as dificuldades acabam elevadas à enésima potência. Na contramão das adversidades, jovens dançarinos e bailarinos brasilienses, felizmente, têm feito a diferença. Muitos, inclusive, além das fronteiras do quadradinho. A repórter Ailim Cabral mergulhou nesse universo artístico. Ouviu jovens talentos, que têm ganhado reconhecimento internacional, e as pioneiras, que ajudaram a pôr Brasília no mapa da dança. Conheça essa gente incansável na nossa reportagem de capa. (Sibele Negromonte)
Bom domingo e boa leitura!

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação