Preso por atear fogo à mulher no Riacho Fundo

Preso por atear fogo à mulher no Riacho Fundo

Walder Galvão
postado em 07/09/2017 00:00
Desde o último domingo, Maria Francisca Borges, 38 anos, está internada no Hospital Regional da Asa Norte (Hran). Ela teve mais de 40% do corpo queimado depois de uma discussão com o marido. Após consumir drogas e ingerir bebidas alcoólicas, Leonardo Gonçalves Borges, 38, se descontrolou, jogou álcool contra a própria esposa, a empurrou no fogão e acendeu as chamas. Ele foi preso na manhã de ontem, após se apresentar à 29; Delegacia de Polícia (Riacho Fundo).

O casal mora no Riacho Fundo 2. Além da tentativa de feminicídio contra a mulher, Leonardo tem duas ocorrências de violência doméstica, uma de 2013 e outra de 2015. Todas têm Maria Francisca como vítima. O filho dela, de 12 anos, vive na mesma casa onde ocorreu o delito mais grave. No momento, a criança está com os familiares da mãe. Segundo o delegado responsável pelo caso, Amarildo Fernandes, o homem confessou o crime praticado no fim de semana. ;Ele informou que foi sem intenção, mas descreveu toda a dinâmica do ocorrido;, disse o investigador.

Amarildo informou que as brigas entre o casal era frequente. ;Sempre que ele usava drogas ou ingeria bebida alcoólica aconteciam as discussões. Nas outras ocorrências, as lesões não foram graves. Aconteceram ameaças e agressões leves;, detalha o delegado. Leonardo teve queimaduras nas mãos e arranhões pelo corpo. Um dia antes de ser preso, ele ainda solicitou que um advogado fosse até a delegacia para pedir uma avaliação do Instituto de Medicina Legal (IML) e saber a dimensão do ocorrido para preparar a defesa.

Feminicídio
O número de tentativas de feminicídio triplicou no primeiro semestre deste ano, comparado a 2016. Segundo levantamento realizado pela Secretaria de Segurança Pública e da Paz Social, ocorreram 35 casos, enquanto, no ano passado, foram nove. Os crimes de violência doméstica também cresceram no mesmo período. Em um ano, o número passou de 6.848 para 7.119, um aumento de 4%. No total, nove mulheres morreram vítimas de feminicídio no Distrito Federal em 2017.



Memória

Caso parecido em Valparaíso


Há menos de 40 dias, um caso semelhante ocorreu em Valparaíso de Goiás. No município goiano distante cerca de 40km do Plano Piloto, o marido de Elaine Sousa dos Santos, 35 anos, ateou fogo a ela. No momento do crime, o casal ingeria bebida alcoólica. Após uma discussão, Catarino José de Sousa Neto, 39, jogou o produto inflamável na vítima e, depois, acendeu o fogo. A mulher ficou agonizando até a chegada de policiais. O homem negou ter cometido o crime, mas foi preso em flagrante. Elaine sobreviveu ao ataque. Ela recebe atendimento especializado no Hospital Regional da Asa Norte (Hran).




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação