Teatro cai bem!

Teatro cai bem!

A partir da biografia de um dos personagens brasileiros mais peculiares, grupo de Minas Gerais cria premiado espetáculo que chega a Brasília

Isabella de Andrade Especial para o Correio
postado em 08/06/2018 00:00
 (foto: Guto Muniz/Divulgação)
(foto: Guto Muniz/Divulgação)






O premiado espetáculo do Grupo dos Dez, Madame Satã, é inspirado no personagem que carregou a alcunha de primeiro travesti do Brasil. A trupe mineira aborda temas de universos extremos, como prostituição, pobreza, racismo, homofobia e intolerância. O espetáculo desembarca em Brasília para temporada no Teatro da Caixa.

A montagem apresenta Madame Satã antes mesmo de receber o nome que o tornou conhecido em todo o país. João Francisco dos Santos, um dos 18 filhos de uma família pobre, no início do século 20, é trocado por uma égua e torna-se, a duras penas, figura mitológica da Lapa carioca, sendo preto, pobre e homossexual. Cem anos depois, o que mudou? Essa pergunta é o impulso para a criação do espetáculo.

Rodrigo Jerônimo, que dirige o espetáculo ao lado de João das Neves, lembra que a narrativa se baseia em experiências contemporâneas. No palco, os personagens transitam entre a poesia e a resistência.

;Tentamos estabelecer um diálogo que coloca esses corpos negros no lugar da resistência e no lugar da sobrevivência na medida da história, sem tirar de perspectiva que somos diversos, que cada um daqueles corpos possuem demandas específicas, mas que, no fim, somos atacados pela mesma estrutura que atacou Madame Satã e seus contemporâneos;, afirma Rodrigo.


SERVIÇO
Madame Satã
Caixa Cultural Brasília (SBS Q. 4 Lt. 3/4). Hoje e amanhã, às 20h e domingo, às 19h. Ingressos a R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). Não recomendado para menores de 16 anos.



Precisamos falar sobre coração partido
Rebeca Borges*

Se você gosta de compartilhar experiências amorosas com os amigos, vai se identificar com o espetáculo Adoráveis ex-namoradas. A peça conta a história de dois personagens: Davi e Renan, que ajudam um ao outro na superação de dores de cotovelo.

A comédia é escrita e dirigida pelos brasilienses Renan Mendes e Marcos Davi, que interpretam e dão nome aos amigos retratados no espetáculo. Em cena, ambos falam de desilusões amorosas ; algumas, baseadas em histórias reais ; com bastante humor.

Os personagens têm personalidades diferentes: Renan quer desabafar sobre as diversas ex-namoradas, enquanto Davi acredita que não vale a pena sofrer por amor. Juntos, em conversas de bar ou durante partidas de videogame, eles descobrem o poder que a amizade tem para auxiliar na superação dos términos.

;No momento em que você para, se questiona e tem uma pessoa para te ouvir, você acaba descobrindo como uma amizade pode ser solidária;, afirma Renan.

;Eu quero que as pessoas não tenham vergonha de terem feito bobagens por amor, e saibam que existem outras pessoas que também fizeram isso. É normal;, defende Renan.

*Estagiária sob supervisão de Vinicius Nader

SERVIÇO
Adoráveis Ex-namoradas
Teatro do Centro Cultural de Brasília (601 Norte). Amanhã, às 21h, e domingo, às 20h. Ingressos a R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia-entrada). Não recomendado para menores de 14 anos.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação