Sorriso completo de novo!

Sorriso completo de novo!

Adriana Izel
postado em 14/09/2018 00:00


Sorriso, voltei! é o nome da turnê que marca o retorno do cantor Bruno Cardoso aos vocais da banda Sorriso Maroto. Ele ficou afastado durante seis meses por conta de uma doença no coração. A série de shows teve início na última sexta-feira e desembarca em Brasília no domingo, a partir das 14h, no Minas Hall.

Além de ser a volta de Bruno aos palcos, esse também é o retorno da banda a capital depois de um período sem shows na cidade.

;Estou louco para reencontrar a galera de Brasília. Posso dizer que será um show inesquecível, é um momento de matar a saudade e reviver essa nova fase, trazendo músicas antigas e a nova O impossível (lançada no último dia 5), que vem trazendo o repertório novo do Sorriso numa perspectiva completamente diferente;, explica.

Criada em 1997, a banda aproveita a nova fase para celebrar os 20 anos de carreira no show incluindo sucessos como Fica combinado assim, Sinais, Futuro prometido e Ainda gosto de você. ;Apesar de ser um repertório conhecido, de 20 anos de carreira, a minha sensação é completamente nova, estou revivendo uma atmosfera, é como se eu estivesse novamente com 17 anos, quando comecei a cantar;, afirma o vocalista.

Duas perguntas/ Bruno Cardoso

Você ficou afastado dos palcos por seis meses. Como tem
sido esse retorno conciliado com o tratamento?
Eu sigo em tratamento, consegui uma carta branca, mas faço fisioterapia, recondicionamento cardíaco, tomo remédios, tem uma série de coisas que tenho que seguir um protocolo, possivelmente para vida inteira. Tenho que seguir recomendação, mas não é muito diferente do que uma pessoa normal deveria fazer, reduzir o sal, a gordura e o álcool... Já estou começando a me adaptar. Já não é um terror e a parte boa é voltar a cantar e retomar a minha carreira musical.

Você sempre foi muito ativo tanto no Sorriso Maroto quanto
fazendo produção de outros artistas. Como foi ter que parar com tudo isso?
Os quatro primeiros meses fiquei sem fazer nada. Totalmente recluso. Eles (os companheiros do Sorriso Maroto) me excluíram de tudo. (risos). Eu realmente saí do foco, fiquei num aquário. Depois fui começando a retomar, assumindo funções que não precisaria estar presente. Também voltei a compor e foi uma terapia. O ponto alto da retomada foi a parte da composição, de exercitar meu lado criativo. Foi muito importante para a recuperação.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação