Filmes natalinos

Filmes natalinos

ADRIANA IZEL adrianaizel.df@dabr.com.br
postado em 24/12/2019 00:00
Quem cresceu nos anos 1990, consequentemente, relacionou a véspera e o dia do Natal a filmes temáticos que recheavam a programação televisiva no período. Sou uma dessas pessoas. Lembro-me de ver inúmeras vezes produções natalinas com minha família. Algumas delas me marcaram em especial: as três versões de Esqueceram de mim ; duas com Macaulay Culkin, de 1990 e 1992, outra com Alex D. Linz ;; Um herói de brinquedo, com Arnold Schwarzenegger; e o live action de O Grinch, tendo Jim Carey como protagonista.

Além de terem o Natal como pano de fundo, todos esses longas tinham em comum algo que é difícil de se equilibrar: humor e sentimentalismo. Tudo isso numa dose capaz de agradar adultos e crianças, que se reuniam em frente à tevê, no sofá, para rir e se emocionar em conjunto com essas histórias. Que nada mais são do que narrativas sobre família, perdão, renascimento e espírito natalino. Há sempre uma lição para se tirar.

Durante um período, esse nicho teve muitas opções, nem sempre de sucesso, como outrora. Mas, agora, parece que a fórmula tem voltado a funcionar. Esse deve ser o terceiro Natal em que a Netflix, plataforma de streaming, aposta em conteúdos temáticos. No ano passado, o serviço se destacou com Crônicas de Natal, filme sobre a família norte-americana Pierce, que, após uma tragédia, perde o encanto pelo feriado. Então, cabe a uma das integrantes resgatar esse espírito, provando a existência do Papai Noel.

Neste ano, o grande destaque da plataforma é a animação Klaus. Atração daquelas que, com certeza, se tornará um clássico. Dirigida pelo espanhol Sergio Pablos, a produção é uma crônica sobre Papai Noel. Aqui, a figura mítica do bom velhinho é encarnada por Klaus (J.K. Simmons), um carpinteiro que mora afastado, na distante ilha de Smeerensburg, e, após a influência do carteiro Jesper (Jason Schwartzman), passa a entregar presentes para as crianças da região. Resultado: consegue acabar com o eterno conflito entre as famílias moradoras da ilha: os Krums e Ellingboes.

Klaus é o filme certo para o Natal, para assistir em família. Então, se houver um tempinho entre as trocas de presente, a ceia, e a interação, ligue no streaming, junte todo mundo no sofá e viva esse momento de nostalgia em conjunto, atiçando o espírito natalino de compaixão, de esperança e de muito amor. Feliz Natal!



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação