Corrida por salário de até R$ 32 mil

Corrida por salário de até R$ 32 mil

postado em 06/01/2020 00:00
 (foto: Arquivo Pessoal)
(foto: Arquivo Pessoal)

Autorizado em outubro do ano passado, o concurso do Senado Federal está gerando muita expectativa entre os concurseiros. Com a oferta de 40 vagas e remunerações que podem chegar a R$ 32 mil, o certame, que já tem comissão formada, fez muitos interessados começarem a se preparar. É o caso de Kalil Henrique Alvez, 25 anos, que está estudando há um mês, com foco no cargo de policial legislativo do Senado.

Atualmente, Kalil é policial rodoviário federal e conta como está conciliando os horários de estudo com os de trabalho. Quando não está trabalhando, Kalil estuda das 8h à meia-noite, fazendo pausas para descansar, além de tirar entre uma e duas horas para academia. Segundo ele, com essa disciplina, consegue fazer um saldo líquido de oito a 12 horas de estudos diárias.

;Nos dias em que estou de serviço, tento otimizar ao máximo meus estudos, escutando videoaulas no trajeto de ida e volta para o trabalho, além de resolver exercícios, ler leis ou arquivos PDFs na hora do almoço;, afirma. O estudante detalha que possui assinatura de diferentes cursinhos para estudar. Os principais conteúdos são parte teórica, questões e exercícios para resolver e direito para jurisprudência e leis secas. ;Escolhi o cargo, principalmente, pela ótima qualidade de vida que pode proporcionar. Além disso, eu adquiri uma boa base de estudos para concurso na área de segurança pública, uma vez que foi a área para a qual passei a focar meus estudos desde a metade de 2018;, diz.

Carlos Alfama, 30, foi o primeiro candidato aprovado para o cargo de policial legislativo no último concurso público realizado pelo Senado Federal, em 2011. Na época, era técnico jurídico da Procuradoria-Geral do Distrito Federal, cargo que exige nível médio. Quando o edital do concurso foi divulgado, ele pediu férias da Procuradoria para poder se preparar. Nos 30 primeiros dias, começou a estudar durante os períodos da manhã e da tarde. Durante a noite, revisava e respondia questões.

;No final do primeiro mês, percebi que estava tendo um rendimento bom e decidi pedir exoneração do cargo na PGR para continuar com o tempo livre para estudar. Como eu tinha começado a preparação depois do lançamento do edital, sabia que precisava dedicar um tempo maior que as demais pessoas para concorrer;, afirma. Alfama pediu a exoneração do cargo em janeiro e continuou estudando em período integral, durante 68 dias. Ele aponta que as maiores dificuldades, na época da preparação, foram largar com atraso e estar sem estudar há muito tempo, por conta do trabalho e da faculdade.

Sobre as técnicas de estudos, Alfama ressalta que fazia diferente da maioria das pessoas: focava em uma matéria de cada vez. ;Muitas pessoas alternam os conteúdos do edital e estudam mais de uma matéria no mesmo dia. Eu preferi estudar uma, no máximo duas, até finalizar todo o conteúdo;, explica. Para quem está interessado no novo concurso autorizado, ele recomenda dedicação diferenciada por ser um cargo muito concorrido, com remuneração alta.

Concorrência
Segundo o o policial legislativo, a concorrência é qualificada e os candidatos têm um preparo maior. ;Os editais do Senado são pequenos, então, mesmo quem não começou a estudar tem grandes chances de aprovação, desde que se prepare com qualidade, utilizando o material completo e se aprofundando nos conteúdos, com foco no objetivo;, alerta.

Para o servidor, a experiência de ser policial legislativo do Senado garante boa qualidade de vida. ;É um cargo bem remunerado, apesar de ser de nível médio. O trabalho é de controle de entrada e saída de pessoas. Então, é um serviço que não traz muita satisfação para quem busca algo mais intelectual. Mas isso é uma questão da expectativa que cada um tem;, defende. (LP, MF e VO)

Os editais do Senado são pequenos, então, mesmo quem não começou a estudar tem grandes chances de aprovação, desde que se prepare com qualidade, utilizando o material completo e se aprofundando nos conteúdos, com foco no objetivo;
Carlos Alfama, policial legislativo
Três perguntas para
Vandré Amorim, servidor do Superior Tribunal de Justiça, professor e coordenador de Inovação no Gran Cursos Online
Quais são as previsões de concursos para 2020?
Embora haja uma sensação de um cenário ruim para concursos públicos, o que se tem visto na prática é um número muito grande de vagas abertas quase que diariamente. Os concurseiros precisam pensar em ampliar seus horizontes, incluindo a possibilidade de mudança de cidade ou estado. Embora o Executivo Federal esteja num momento crítico, há expectativa para concursos para a área policial na União, conforme promessa do presidente Jair Bolsonaro (para Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal). Aliás, a área da segurança pública será, com certeza, muito forte também nos estados e no DF, onde serão realizados concursos para polícias Civil e Militar. No Rio de Janeiro, por exemplo, aguarda-se um edital com 2 mil vagas para a PMRJ. Na área dos tribunais, são aguardados dois grandes concursos ainda para o 1; semestre: TJRJ e TJDFT. Também merecem destaques os tribunais eleitorais, contemplados na Proposta de Lei Orçamentária Anual (PLOA/2020) com a previsão de autorização de 1.002 provimentos. Em todos esses casos, a remuneração, para nível médio, se aproxima dos R$ 10 mil e, para nível superior, ultrapassa os R$ 13 mil, contadas as vantagens internas. Há, ainda, os concursos para fiscais de estados e municípios, conhecidos como concursos para ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) e para ISS (Imposto sobre Serviços), que instigam nichos específicos, por se tratarem de conteúdos programáticos densos, mas que podem ser excelentes oportunidades. A área de apoio em tribunais e no Ministério Público também promete ser uma das mais promissoras em 2020.

Quais são as dicas de preparação para quem quer começar o ano estudando?
Para quem já está no mundo dos concursos, mas ainda não conseguiu sua aprovação/nomeação, a dica é começar o ano fazendo uma análise sincera de tudo que estudou ao longo de 2019. Tente mapear seus pontos fracos, registrando, em cada disciplina, quais assuntos foram mais problemáticos e quais os mais exitosos. Com esses dados, priorize o estudo dos pontos fracos, fazendo mini revisões periódicas dos pontos fortes. Não se esqueça, também, de

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação