Encruzilhada espanhola: se perder, sai

Encruzilhada espanhola: se perder, sai

Ameaçada de ser a terceira campeã vigente eliminada na fase de grupos neste século, a Espanha discute a relação com o tiki-taka e fala em ganhar do Chile de qualquer jeito. Saiba por que a altura pode ser uma arma contra o vexame

Marcos Paulo Lima Enviado especial
postado em 18/06/2014 00:00
 (foto: Lluis Gene/AFP)
(foto: Lluis Gene/AFP)

Rio de Janeiro ; Na cidade em que Vinicius de Moraes disse ;as feias que me desculpem, mas beleza é fundamental;, a seleção mais admirada do mundo devido ao poder hipnotizador do toque de bola pensa em abrir mão de ser a última romântica. Ameaçada de ser a terceira campeã vigente neste século eliminada na fase de grupos do Mundial, a Espanha pode até mudar o estilo no duelo de hoje contra o Chile, às 16h, no Maracanã, em nome da permanência na Copa da Fifa.


Campeões mundiais em 2010, o meia Iniesta e o centroavante Fernando Torres deixaram escapar que, internamente, o consagrado estilo tiki-taka não é mais uma unanimidade. Há cobranças no grupo por um futebol mais vertical, objetivo, capaz de sufocar os adversários em vez de ser refém da posse de bola.


;Se não ganharmos de um jeito, vai ter que ser de outro;, avisou Fernando Torres. Autor do gol do título na África do Sul, Iniesta reforçou o discurso. ;A gente tem de ganhar do jeito que for. Vamos ter outras chances de jogar um bom futebol;, surpreendeu um dos símbolos da geração mais vitoriosa da história do país ibérico.


Conservador até o último fio de bigode, até o técnico Vicente del Bosque admite uma plástica na cara da Espanha. ;O Chile é valente e agressivo. Como conhecedores de futebol, nós temos a nossa identidade, não vamos perdê-la, mas podemos mesclá-la com outra forma de jogar, menos habitual, para podemos fazer danos a eles (chilenos);, admitiu.


A novidade pode ser a bola aérea. Um levantamento dos Correio comparou a altura das 32 seleções desta Copa. O elenco do Chile é o mais baixo, com média de 1,76m. Em contrapartida, o número da Espanha é o 11; mais alto do torneio: 1,84m. Os oito centímetros de diferença preocupam o treinador argentino do Chile. ;A Espanha vai tentar se se beneficiar de cada ponto fraco que tenha detectado;, admite Jorge Sampaoli. Na guerra tática, ele pode elevar a estatura da defesa escalando Francisco Silva, de 1,78m, ao lado de Jara (1,78m) e de Medel (1,71m).

Exemplos recentes
Jorge Sampoli admite treinar uma seleção inferior à da Espanha, mas tem duas inspirações para eliminar a campeã mundial. Em 2002, a Dinamarca despachou a França na fase de grupos. Os Bleus defendiam o título na Coreia do Sul e no Japão. Há quatro anos, a Eslováquia colocou um ponto final na campanha da Itália.


Uma vitória do Chile hoje encerraria a campanha da Fúria ; ferida pela goleada por 5 x 1 diante da Holanda na estreia. O meia Vidal ainda não sabe se entrará em campo hoje, mas provoca: ;Seria lindo eliminar a Espanha;.


Com a experiência de quem estreou perdendo para a Suíça na campanha do título de 2010, o técnico Vicente del Bosque recorre até à força do acaso para manter a tranquilidade. ;Temos de enfrentar esse risco, uma dura realidade, mas não podemos iludir ninguém. A derrota é apenas parcial. O destino ainda está nas nossas próprias mãos;, lembrou.


Espanha x Chile
Copa do Mundo
Grupo B
2; rodada

Horário: 16h
Local: Maracanã,io de Janeiro

Árbitro: Mark Geiger (EUA)
Auxiliares:
Sean Hurd (EUA) e Joe Fletcher (Canadá)
Transmissão: Band, BandSports, Globo, FOX Sports, ESPN Brasil e SporTV


Espanha (4-3-3)

Casillas, zpilicueta, Javi Martínez (Piqué), Sergio Ramos e Alba, avi, Busquets e Xabi Alonso, edro, Diego Costa e Iniesta
Vicente del Bosque
Técnico:

Chile (3-4-1-2)
Bravo, Medel, Silva e Jara, sla, Díaz, Aránguiz e Mena, Vidal, ánchez e Vargas
Técnico: Jorge Sampaoli

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação