Equipe já está na cidade

Equipe já está na cidade

postado em 26/11/2014 00:00

Os escolhidos pela presidente Dilma Rousseff para compor a equipe econômica estão em Brasília desde o início da semana. Joaquim Levy, futuro ministro da Fazenda, e Nelson Barbosa, próximo titular do Ministério do Planejamento, reuniram-se na capital federal para definir suas equipes e as diretrizes da política econômica do segundo mandato da presidente reeleita. É bem provável que, durante o anúncio oficial previsto para amanhã, Dilma revele também o nome dos presidentes de bancos públicos.

O anúncio do governo é uma tentativa de acalmar o mercado financeiro e preparar um plano de resgate da credibilidade das contas públicas. Para isso, deve lançar um pacote de corte de gastos e sinalizar a tão esperada austeridade fiscal em 2015. O objetivo é claro: evitar o rebaixamento da nota de crédito do Brasil pelas agências de classificação de risco Moody;s, Standard & Poor;s e Ficht.

A permanência de Alexandre Tombini no Banco Central (BC), por escolha própria, não representa mudanças na condução da política monetária. Mas o mesmo não se pode dizer da intensidade como os ajustes serão implementados. O entendimento é que o resgate da credibilidade passa por um choque de expectativas. Por isso, é possível que o Comitê de Política Monetária (Copom) eleve a dose do aperto nos juros, para 0,5 ponto na última reunião do ano, na semana que vem.

A radicalização nos juros já foi comunicada ao mercado pelo diretor de Política Econômica do BC, Carlos Hamilton Araújo. O diretor pode migrar do BC para a Fazenda e assumir o comando do Tesouro Nacional, no lugar do contestado Arno Augustin, que, entretanto, não deve sair do governo, apenas dos holofotes da mídia. Além de Carlos Hamilton, Tarcisio Godoy e Eduarda La Rocque estão cotados. Um economista com trânsito no governo acredita que Godoy tem mais chances. ;Os três nomes são ótimos. Bem melhores do que a situação atual (Augustin);, afirmou.

Para o BB a escolha está entre Paulo Caffarelli e Alexandre Abreu, ambos de carreira no banco. Jorge Hereda, indicado por Jacques Wagner, deve continuar no comando da Caixa. Já Luciano Coutinho pode ser substituído no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). (SK e DB)

O Brasil andou para trás com Mantega. Ele não vai deixar saudade;
Alex Agostini, analista da Austin Ratings

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação