Luzes, câmera e... Você!

Luzes, câmera e... Você!

Nos últimos 10 anos, o serviço viu nascer diversas personalidades. O grupo Porta dos Fundos é o mais popular no Brasil

postado em 24/01/2015 00:00
 (foto: Kondzilla/Divulgação)
(foto: Kondzilla/Divulgação)


É praticamente impossível estar alheio aos chamados hits da internet. Sejam clipes, sejam vídeos de humor ou até mesmo filmagens amadoras com temáticas banais. O YouTube também se tornou uma espécie de agenda de pautas sobre os demais veículos da mídia. Qualquer um pode se tornar famoso, por qualquer motivo. As luzes dos holofotes não estão mais restritas a artistas e a celebridades. A pessoa comum ganhou a chance de ficar conhecida.

;Acredito que, há muito tempo, as pessoas desejam publicar conteúdos próprios, mas não o faziam por conta das várias barreiras que encontravam. Hoje, todo mundo possui uma câmera no celular e um canal grátis para inserir os vídeos;, afirma Diego Arelano, sócio de uma agência especializada em comunicação digital. Ele explica que não existe uma fórmula que garanta a viralização de um conteúdo, seja ele com temática banal, seja um videoclipe de grande produção e investimento.

;Não acredito que exista uma regra. Clipes podem ter um alto grau de compartilhamento por dois motivos: a música que se torna um hit ou a produção ser muito inovadora. No caso dos vídeos banais, o poder da viralização está totalmente com o público. Quando alguém envia um vídeo novo, é impossível saber se ele viralizará.;



Artistas que estouraram na internet


MC Guimê
Ele é provavelmente o nome mais conhecido do fenômeno funk
ostentação. É difícil encontrar
um vídeo do paulista que não
possua pelo menos alguns
(muitos) milhões visitantes.



Justin Bieber
Há quatro anos, surgia o nome de um menino de franja jogada para o lado, com uma música chiclete que falava Baby, Baby, Baby (uh). Era Justin Bieber, que este ano completará 21 anos. O clipe da música acima possui mais de 1,1 bilhão de acessos.


Psy
O coreano é ninguém mais ninguém menos que o artista mais visualizado da história do YouTube. O clipe de Gagnam style já ultrapassa a casa de 2,2 bilhões de acessos, o que obrigou o Google a alterar o código de contagem de visualização de vídeos da plataforma. Aproximadamente, podemos dizer que um terço do mundo já ouviu pelo menos uma vez a música do artista!


Miley Cyrus
Antes conhecida pelo programa da Disney Hanna Montana, Miley Cirus definitivamente é uma cantora que soube utilizar a plataforma de vídeos. Polêmicas à parte, o clipe de Wrecking ball exala sensualidade e possui 740 milhões de visualizações. A produção contribuiu e muito por colocar em definitivo o nome da artista na mídia.


Confira alguns dos virais mais famosos

São inúmeros vídeos que ultrapassaram (e muito) a casa do primeiro milhão de acessos.
Selecionamos abaixo alguns dos mais famosos, nacionais e internacionais:

; ;Sem Palavras!” ;
;As árvores
somos nozes!”


; Tapa na pantera

; Charlie bit my finger

; David after dentist

; The sneezing
baby panda

; Charlie bit my finger ;
again!


; Para a nossa alegria

; Ruth Lemos ;
Sanduichi-ichi!



Canais de humor


Porta dos Fundos
O canal de humor possui mais de 9,5 milhões de inscritos, quase 1,5 bilhão de acessos e é o programa de maior relevância e alcance do Brasil. O sucesso foi tamanho que o Porta dos Fundos tem a reprodução de alguns episódios em um programa na Fox.


PC Siqueira
Apesar da aparência pacata, Paulo Cezar Goulart Siqueira, o PC Siqueira, já causou polêmica na internet. O canal Mas poxa vida, criado em 2010, foi alvo de críticas quando o jovem criticou símbolos religiosos. Isso trouxe fama ao rapaz, que virou VJ da MTV. O canal tem mais de 1,6 milhão de inscritos e quase 180 milhões de visualizações.


Felipe Neto
O jovem se tornou mais conhecido após um vídeo que criticava o filme de vampiros Crepúsculo. Sob um formato simples, no qual se senta em frente à câmera e emite as próprias opiniões, Felipe esteve por bastante tempo com um dos vlogs mais relevantes do YouTube.



Palavra dos especialistas

Entre calouros e profissionais
O YouTube deu possibilidade a pessoas que gostariam de mostrar algum talento (ou produção própria) fazer isso sem depender de um grande veículo ou produtora. Não apenas os conteúdos despretensiosos, também aqueles com grande potencial, mas sem espaço na tevê. É o caso do Porta dos Fundos, que nasceu na plataforma, e, assim como os criadores sempre afirmam, pretendem continuar por lá. Hoje, podemos perceber inúmeros canais que tratam o veículo com muito profissionalismo, tendo uma grade de programação e postagens frequentes. O próprio site vem incentivando isso, promovendo e recompensando essas iniciativas.

Diego Arelano, sócio de agência especializada em comunicação digital


Alta qualidade
Hoje, o cidadão comum se importa menos com o YouTube. Ele posta muito mais vídeos no Facebook e no Instagram do que efetivamente no site do Google. Lá, a produção de conteúdo é cada vez melhor. Basta pegar os vídeos com recorde de acessos. Eles têm uma produção completa ; há uma câmera profissional, uma boa edição, som etc. Deixou de ser aquele portal de videocassetadas ; o vídeo rápido e engraçado está circulando por WhatsApp e Facebook. O YouTube está indo pelo caminho do conteúdo profissional.

Edney Souza, professor da Fundação Getulio Vargas e especialista em internet e redes sociais


Na lei
Ao subir um vídeo, você automaticamente garante que aquele conteúdo é de sua propriedade, mas o licencia para o YouTube, que pode fazer uma série de ações por meio das ferramentas do site. Além disso, a página dispõe de um algoritmo para detectar se aquele vídeo é mesmo seu. Para isso, ele tem um banco de dados com conteúdos que pertencem a emissoras e gravadoras. Ao tentar subir uma produção que tenha uma dessas informações, o site aciona o detentor do vídeo que pode tirá-lo do ar.

Milena Grado, especialista em direito autoral

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação