Minha arte, minha vida

Minha arte, minha vida

O primeiro Jogo de Cena de 2015 abre as comemorações dos 30 anos do projeto que revelou vários artistas da cidade Minha arte, minha vida

Diego Ponce de Leon
postado em 27/05/2015 00:00
 (foto: Adla Marques/Divulgação







)
(foto: Adla Marques/Divulgação )


Sempre aberto a todas as tendências e artistas, o Jogo de Cena começa a temporada hoje, no Teatro da Caixa, com uma energia especial. Em 2015, o projeto completa 30 anos e se consolida como a mais duradoura iniciativa cultural em atividade. A festa está programada para agosto, quando o evento foi realizado pela primeira vez, em 1985, mas todas as edições deste ano terão caráter comemorativo.

Como sempre, o Jogo de Cena recebe no palco espetáculos recentes e algumas intervenções artísticas contemporâneas. ;Cada edição do programa, que dura cerca de duas horas, é formada por aproximadamente sete quadros, observando-se a diversidade de estilos e gêneros;, reforça o diretor James Fensterseifer, que está envolvido com o Jogo de Cena desde a primeira edição. Ele aproveita para lembrar que ;essa variedade faz dos bastidores do evento um raro espaço de encontro entre artistas de diversas áreas;.

A exemplo das edições anteriores, a primeira sessão terá artes plásticas, teatro, cinema, música e dança. A apresentação dos esquetes e quadros, como acontece desde 1991, fica a cargo dos intrépidos Welder e Pipo, da Cia. Os Melhores do Mundo, que se tornaram uma marca registrada do projeto. Mesmo com compromissos de gravação no Rio de Janeiro e com a atribulada agenda da companhia, os artistas fazem questão de participar do projeto, pelo qual também acabaram conhecidos. Lá se vão 24 anos entretendo a plateia do Jogo de Cena.


Programação
A primeira edição de 2015 terá alguns velhos e bons conhecidos do público. O musical I;ll be there, realizado por Célia Porto e Rênio Quintas, mostra trechos de sua versão mais recente, que nada lembra a primeira montagem. A produção do espetáculo está cada vez maior e o resultado agrada Brasília há alguns anos. Artistas como Georgia W. Alô e Carmem Manfredini costumam dar as caras e incrementam a apresentação.

Entre as peças de teatro, o riso deve prevalecer, já que os espetáculos convidados flertam com o gênero. Caso da esquete de improviso E agora?, de Edson Duavy. Os animados Márcio Minervino, Davi Rocha e Ribamar Araújo apresentam uma parte de Corra, minha sogra vem aí, que já fez muita gente dar boas risadas recentemente. Quem também garante uma bela dose de comédia é Vitória Virgínia, personagem solo de Ribamar Araújo. Finalmente, os humoristas Leonardo Ladislau e TJ Fernandes mostram trecho do espetáculo Em que posso ajudar?


Nem só de gargalhadas vive o Jogo de Cena. Além dos comediantes, o público acompanhará a artista plástica Thays Tir pintar um quadro no decorrer do evento. Na dança, o grupo Rota Brasil apresenta a coreografia Equilibrium. Haverá ainda a exibição do curta-metragem Faca amolada, com direção de Joana Limongi.

Trata-se apenas, vale lembrar, da programação de estreia do Jogo de Cena 2015, que ainda contemplará outras sete datas ao longo do ano. Motivos de celebrações para as três décadas de história do mais democrático palco da cidade.

Casas antigas

l Teatro Galpãozinho (Espaço Cultural Renato Russo)
l Teatro da Escola Parque da 508 Sul
l Teatro Sesc Garagem (913 Sul)
l Sala Martins Pena, Teatro Nacional
l Teatro da Caixa

Jogo de Cena ; Estamos de volta

Hoje, às 20h, no Teatro da Caixa (SBS, Qd 4). Ingressos a R$10 (meia-entrada) na bilheteria do teatro. Não recomendado para menores de 14 anos.

1985
Ano do primeiro Jogo de Cena

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação