Eixo capital

Eixo capital

Ana maria campos/anacampos.df@dabr.com.br
postado em 03/09/2015 00:00
 (foto: Luis Tajes/CB/D.A Press)
(foto: Luis Tajes/CB/D.A Press)

Fim de licença

O ex-governador Agnelo Queiroz (PT) vai assumir um cargo na administração da Universidade Aberta do SUS (Una SUS), o órgão do Ministério da Saúde que capacita profissionais da saúde. O petista foi convidado, aceitou e deve começar logo que terminar o tratamento na coluna. A licença médica de Agnelo acabou na última terça-feira, mas ele ainda está usando colete e fazendo fisioterapia.



Euforia

O conselheiro Márcio Michel arrancou gargalhadas dos convidados na posse ontem no Tribunal de Contas. Brincou com a figura de Jesus Cristo que Cláudio Abrantes, o novo distrital, interpretava na via-crúcis de Planaltina: ;Eu vim para o céu e você voltou para a Terra;. Para Rodrigo Delmasso, suplente no mandato anterior, ele disse: ;Muito obrigado por nunca querer que eu morresse;. Parecia eufórico com a nova função.



A força da Polícia Civil

Em greve por falta de estrutura, a Polícia Civil do DF já mostrou que tem muita força política. Com a posse de Dr. Michel, a categoria conta com dois representantes no Tribunal de Contas. Além do novo conselheiro, Renato Rainha, ex-delegado, é o presidente. Na Câmara Legislativa, são dois deputados: Cláudio Abrantes (PT), que agora assume o mandato, e Wellington Luis (PMDB), sem contar o deputado federal Laerte Bessa
(PR-DF), ex-diretor-geral, no Congresso. Não é pouca coisa.



Quase conselheira

A presidente da Câmara Legislativa, Celina Leão (PDT), fez maquiagem, penteado especial e se vestiu elegantemente para a posse de Dr. Michel no Tribunal de Contas do DF. Parecia que estava a própria assumindo o cargo de conselheira. E foi por pouco.



Mais mulheres na OAB

Lançado nesta semana, em Brasília, o Movimento Mais Mulheres na OAB tem como meta ampliar a participação feminina na entidade. Dos quase
1 milhão de advogados no país, 46,61% vestem saias, mas essa proporção não é representada. Apenas o Distrito Federal e seis estados ; Piauí, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, Amapá, Mato Grosso e Pará ; já tiveram mulheres na presidência. A intenção do movimento é criar ações para aumentar essa representatividade. Lançamento da frente na última terça-feira contou com a adesão à causa de dois candidatos à eleição da OAB-DF, marcada para 16 de novembro: Délio Lins e Silva e Paulo Roque Khouri.



À QUEIMA-ROUPA

Izalci Lucas, Deputado federal


Sente-se confortável em assumir a presidência do PSDB-DF num processo de intervenção?
É falsa a premissa de intervenção agora. A intervenção vem desde 2013 e nossa missão é justamente reorganizar o partido. Sou deputado federal eleito pelo partido e em toda a história eleitoral do DF o PSDB só havia conquistado uma cadeira na Câmara em 1998.

A ex-governadora Maria de Lourdes Abadia fez muitas críticas ao senhor. Disse que o senhor é desagregador, que não tem experiência política e só tem projeto pessoal... O que acha disso?
Respeito a história da deputada Abadia no PSDB, assim como a de outros tucanos pioneiros do DF e muitos desses estão do meu lado. Fui líder da oposição ao governo dela e talvez por isso ela não me perdoe. Mas não se faz política olhando pelo retrovisor.

Abadia disse também que o senhor entra e sai toda hora de partido... Está disposto a permanecer no PSDB?
Entrei no partido a convite das grandes lideranças nacionais tucanas. E essas lideranças entendem que o PSDB precisa ter no DF a mesma dimensão que tem no âmbito nacional e é isso o que vamos procurar fazer.

Qual é o projeto do PSDB para 2018? Vai apoiar a reeleição de Rollemberg, caso o governador planeje se candidatar novamente?
Estamos preocupados com a crise que atinge o GDF e castiga nossa população, e por isso vamos trabalhar pela governabilidade. Mas isso não representa necessariamente apoio na próxima eleição.

O senhor se antecipou à derrubada na sua casa e recuou a cerca nos limites definidos da orla do lago. Concorda com a ação do GDF?
Decisão judicial se cumpre. Assim que vi que o recurso foi negado pela Justiça decidi recuar a cerca porque vi que era uma decisão política do governo de derrubar. Mas acho que deveria ter havido planejamento para que todos os moradores agissem assim também.

E no plano nacional, acredita que a presidente Dilma Rousseff tem condições de governar até o último dia do mandato?
Infelizmente, a presidente e o PT perderam as condições de governabilidade. O país está à deriva.

Aonde vai chegar a CPI da Petrobras?
Já chegamos ao Rei, à Rainha e ao Príncipe. Lula, Dilma e José Dirceu.



A pergunta que não quer calar;.

O Distrito Federal vai chegar à situação financeira do Rio Grande do Sul, com greves, pagamentos parcelados e protestos para todo lado?




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação