Nobel? Que Nobel?

Nobel? Que Nobel?

postado em 15/10/2016 00:00
 (foto: Kevin Winter/AFP-12/6/9)
(foto: Kevin Winter/AFP-12/6/9)



A notícia do Prêmio Nobel de Literatura para Bob Dylan repercutiu no mundo inteiro, mas não abalou o compositor. Vinte e quatro horas depois do anúncio da Academia Sueca, Dylan fez um show em um hotel de Las Vegas, na quinta-feira, à noite, e, bem ao seu estilo, permaneceu completamente alheado da honraria. Ignorou solenemente o Prêmio Nobel. A Academia Sueca não havia conseguido estabelecer qualquer contato com o compositor. Nelson Rodrigues diria: se fosse um brasileiro buscaria a estatueta a nado.

O show de Dylan logo após a notícia do prêmio teve um público eclético: acolheu homens paramentados com roupas de caubói, como se fossem personagens de werstern, até velhos fãs do rock de banda e jaqueta de couro de motocilista. Os que esperavam por um show de tom nostálgico, com sucessos dos anos 1960, se decepcionaram. Ele interpretou clássicos como Everybody must a get stoned, Highway 61, revisited, It;s all over now, baby blue. Mas enfatizou especialmente as novas canções do repertório.

Ray Staniewicz, um fã de 65 anos, comentou: ;Ele fez muito pelo movimento pacifista desde os anos 60, 70 e até os dias de hije. A literatura, não sei, não estou muito familiarizado, para falar a verdade;, completou.

Gail Wolfe, de 70 anos, viajou de Vancouver com o marido Norbert, de 74, e sua yorkshire Suzy O casal amava as músicas de Dylan nos anos 1960: ;Eu realmente gostei das músicas novas. Fiquei surpresa porque vim pela nostalgia, mas o que ele apresentou agora é realmente bom;, disse Gal. ;Ele é um poeta. Fala do que acontece no mundo e sempre fez issto. Suas letras saem do coração;, conclui.

Desinteressado
O jornal Washington Post entrevistou pessoas ligadas ao artista. Segundo elas, Dylan permaneceu em silêncio o dia todo sobre o prêmio. Permanece a expectativa sobre a reação do compositor, sempre avesso a badalações e desinteressado de honrarias. Ouvido pelo Washington Post, o cantor e amigo Bob Neuwirth não descarta inclusive a possibilidade de Dylan não agradecer e não fazer qualquer manifestação em relação ao prêmio.

O protocolo da Academia Sueca estabelece a praxe de que os premiados compareçam a Estocolmo no dia 10 de dezembro para receber o prêmio das mãos do rei da Suécia e para fazer um discurso durante o jantar de gala. No entanto, pairam dúvidas sobre se Bob Dylan aceitará ou não comparecer à festa da premiação.

O músico e poeta canadiano Leonard Cohen aprovou a atribuição do Nobel da Literatura a Bob Dylan e considerou que é como ;dar uma medalha ao monte Evereste por ser a montanha mais alta;. A cantora Joan Baez, antiga companheira de Dylan, escreveu em sua conta no Facebook: ;O Prêmio Nobel da Literatura é mais um passo na direção da imortalidade de Bob Dylan;.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação