Delatores vão depor de novo

Delatores vão depor de novo

Delatores vão depor de novo

postado em 25/04/2017 00:00
Marcelo Odebrecht e seis executivos da empreiteira serão interrogados no processo contra o ex-ministro Antonio Palocci

O juiz federal Sérgio Moro intimou o empreiteiro Marcelo Odebrecht e mais seis delatores da Operação Lava-Jato para prestarem novos depoimentos em 5 de maio. A medida foi tomada a pedido da defesa do ex-ministro Antonio Palocci (governos Lula e Dilma/Fazenda e Casa Civil) e de seu ex-assessor Branislav Kontic. O ex-ministro está preso desde setembro de 2016.

;Desde logo, em vista do requerido, designo novo interrogatório dos referidos acusados para 5 de maio de 2017, às 14h, perante este juízo. Permanecem válidos os depoimentos anteriores e os novos interrogatórios versarão apenas sobre eventuais perguntas adicionais, em vista do teor dos acordos de colaboração e dos depoimentos prestados no acordo, da defesa de Antônio Palocci Filho;, determinou Moro.

Além de Odebrecht, serão ouvidos os executivos Fernando Migliaccio da Silva, Hilberto Mascarenhas Alves da Silva Filho, Luiz Eduardo da Rocha Soares, Marcelo Rodrigues, Olívio Rodrigues Júnior e Rogério Santos de Araújo ; todos delatores da Lava-Jato. Marcelo Odebrecht é o único executivo da empreiteira que está preso. Ele foi capturado em 19 de junho de 2015, na Operação Erga Omnes, desdobramento da Lava-Jato.


A defesa de Palocci ; subscrita pelos criminalistas José Roberto Batochio, Guilherme Octávio Batochio e Leonardo Vinícius Battochio ; alega no pedido ;princípios constitucionais do contraditório e da defesa ampla;.


Primeira-dama de MG é indiciada
Em desdobramento das investigações da Operação Acrônimo, a Polícia Federal indiciou a primeira-dama do governo de Minas, Carolina de Oliveira Pereira Pimentel, por corrupção, lavagem de dinheiro e crime eleitoral. Os secretários da Casa Civil, Marco Antônio de Rezende Teixeira, e do Planejamento e Gestão, Helvécio Magalhães, também foram acusados pela corporação. O advogado de Carolina Pimentel, Thiago Bouza, afirmou que se pronunciará apenas nos autos, pois o processo corre em segredo de Justiça. Ele afirmou ainda não ter tido acesso à íntegra das investigações. Já o Secretário de Planejamento informou, por meio de nota, que tomou conhecimento do fato pela imprensa. ;Nunca lhe foram pedidas informações sobre esse processo, bem como jamais realizada oitiva por parte da Polícia Federal;, disse. O secretário da Casa Civil também afirmou que só se manifestará após ter acesso aos autos da investigação.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação