Filho de peixe, peixinho é...

Filho de peixe, peixinho é...

Benedita Casé, filha de Regina Casé, estreia na televisão como diretora. A carioca está à frente de Fora da caixa, atração sobre negócios

Por Adriana Izel
postado em 30/04/2017 00:00
 (foto: Globosat Mais/Divulgação
)
(foto: Globosat Mais/Divulgação )

A carioca Benedita Casé cresceu no meio televisivo, o que era de se esperar já que ela é filha da atriz e apresentadora Regina Casé com o artista plástico Luiz Zerbini. ;Sempre fiquei observando: eu sempre estive nesse meio, em um set de filmagem ou no auditório. Aprendi muitas coisas e fui levando...;, conta em entrevista ao Correio.

Antes de se arriscar em algo próprio, Benedita trabalhou com a mãe durante muito tempo no programa dominical Esquenta, onde atuou como pesquisadora musical. ;Com o passar das temporadas, fui testando novas experiências nos bastidores do programa, até que me vi inserida nesse meio;, lembra Benedita diz que não pensava em trabalhar na área, mas não conseguiu escapar do caminho natural: ;Não teve como evitar, a televisão está presente no meu dia 24 horas;.

Neste ano, Benedita deu seu primeiro passo longe da mãe na tevê, porém perto de boa parte da família. Ao lado do marido João Pedro Januário, ela dirigiu os 10 episódios do programa Fora da caixa, que surgiu de uma ideia do casal e teve produção do padrasto Estevão Ciavatta, da Pindora Filmes.

Visão empreendedora

No ar desde 11 de abril no canal Mais Globosat (com exibição às terças, às 21h, e também disponível no serviço on-demand da emissora), Fora da caixa é apresentado por Luiz Quinderé, jovem que viu a vida mudar após apostar em um negócio próprio que ganhou o nome de Brownie do Luiz e o garantiu na lista dos 30 jovens mais promissores do país, segundo ranking da revista Forbes. ;O Luiz representa esses jovens que estão pensando nos seus negócios ;fora da caixa;, que trabalham muito, mas não abrem mão de serem felizes, que estão focados no propósito acima de tudo;, define Benedita.

O programa trata do empreendedorismo moderno acompanhando histórias de pessoas que decidiram transformar o prazer em negócio. O programa de abertura é com Luiz Quinderé, mas ao longo de 10 capítulos, a série mostrará personalidades empreendedoras, como o brasiliense Bruno Rocha,que se destacou na internet ao criar o personagem Hugo Gloss, que hoje é um portal de notícias de entretenimento, e ainda nomes como Felipe Bazílio (fundador da Biz.u) e Pedro Salomão (nome por trás da Rádio Ibiza). ;Eu e João sempre tivemos vontade de fazer um programa sobre empreendedorismo, mas de um jeito diferente. Percebemos que esse assunto às vezes assusta, e sempre tende a ir para um lado mais duro, quadrado, com dados números, gráficos e termos complicados. Sentíamos falta de ter um programa que falasse de um jeito mais descontraído;, explica Benedita Casé.

Em busca de uma linguagem que agradasse tanto quem já entende de empreendedorismo quanto quem ainda é leigo no assunto, Fora da caixa dá dicas de como manter um negócio nos tempos atuais, em que há muita modernidade e também problemas com a crise instalada no país, por meio da experiência de jovens empreendedores em áreas como moda, internet, gastronomia, esporte, música, arte e design. ;Sempre conversamos com muitos amigos sobre o novo jeito de trabalhar, dentro e fora da empresa. O novo jeito de se relacionar com os funcionários, novos modelos de negócio, e jovens que estão levando para a empresa, o próprio lifestyle. Daí surgiu a ideia de falar dessa geração que trabalha duro, mas não abre mão da felicidade;, destaca.

Dessa forma, em cada episódio, a atração mostra a união entre o lado pessoal e o profissional dos jovens empreendedores, seguindo no ar com episódios inéditos até 13 de junho. E deve ser apenas o primeiro passo de Benedita na tevê: ;A experiência foi incrível, aprendi muito. Acho que aprendi mais por ter participado do processo inteiro do início ao fim, desde a escolha dos personagens até a edição.;

10
Número de episódios da temporada de da caixa

Três perguntas / Benedita Casé

O que a motivou a fazer uma produção dedicada ao empreendedorismo?
O que me motivou foi ver muitos amigos e jovens abrindo negócios inspiradores, mas com esse perfil de serem donos do próprio destino e fazerem o que realmente gostam, levando o estilo de vida para o trabalho. Acho que é um assunto que interessa a muita gente, mas que poderia ser falado de um jeito mais fácil e próximo das pessoas.

Como foi o processo de escolha dos empreendedores que estariam no programa?
A gente fez um trabalho de pesquisa enorme, e o Luiz (Quinderé) e o Lucas (irmão dele) também ajudaram muito nessa parte do processo por estarem diariamente no meio e terem muitos contatos legais. Mas caímos dentro da pesquisa para achar personagens interessantes e que tivessem o perfil que o Luiz representa. Eu e João sempre admiramos o jeito que ele toca a empresa do Brownie do Luiz e como ele leva o estilo de vida dele para dentro da empresa.

A série retrata essa nova forma de viver do jovem empreendedor. Para você, o que faz o jovem buscar outras formas de trabalhar e ganhar dinheiro?
Uma das características dessa geração é que eles querem encontrar um foco que esteja conectado com o propósito e com o que eles gostam de fazer. Eles querem deixar alguma ;marca; no mundo. Muitos estão engajados em uma questão social muito forte e passam a criar sentidos para a vida, para depois se preocuparem com o retorno financeiro. Atualmente, não há mais essa diferença de pessoa física para jurídica. O jovem quer levar a sua vida para dentro da empresa e vice-versa. Aliás, são justamente as experiências pessoais dessas pessoas que acabam gerando os produtos.


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação