Forte e antenado

Forte e antenado

postado em 05/04/2018 00:00
 (foto: Fotos: Ford/Divulgação)
(foto: Fotos: Ford/Divulgação)


Com o Mustang, a Ford inaugura seu o painel de instrumentos digital totalmente configurável (no mesmo estilo de modelos da Audi e da Volkswagen). O sistema conta com uma tela de 12,3 polegadas e três modos de personalização: normal, esporte e pista. Chamado de MyMode, ele conta com a função memória, onde é possível registrar e salvar as configurações preferidas, incluindo os ajustes da suspensão e da direção.

Como outros modelos da marca, o esportivo também conta com diversos assistentes de segurança. Em relação à geração anterior, a lista cresceu. Agora, o Mustang vem com sistemas de frenagem de emergência, alerta de distância, de fadiga e de manutenção na faixa e piloto automático adaptativo. Sem falar em itens de conforto, como Sync 3. As mudanças foram tão grandes, segundo a Ford, que até o ronco do motor foi alterado. De acordo com a marca, ele foi refinado e, agora, pode ser personalizado por meio de um sistema de válvula ativa de escape, que permite variar a potência sonora e melhorar o som emitido pelo veículo ou até silenciá-lo, para não incomodar a vizinhança na hora de sair.


Nas ruas e na pista

Durante o lançamento, feito na capital paulista, o Veículos rodou por ruas da cidade, para sentir como o esportivo se comporta na ;selva de carros;. Não se torna um mito à toa. O segundo impacto ; o primeiro é o visual ; acontece ao ligar o carro. A sensação é de despertar uma fera. O ronco é algo excepcional, inexplicável, como todo bom V8 deve ter. O terceiro impacto é o conforto. Esportivos, por natureza, tendem a ser duros, desconfortáveis, mas não o Mustang. Mesmo em trechos com o asfalto ruim, a suspensão trabalha muito bem, não repassa as imperfeições do asfalto para a cabine.

Também testamos o muscle car em seu habitat, o autódromo. Nada menos que o mais famoso do Brasil, o José Carlos Pace, conhecido por Interlagos. Se nas ruas o Mustang impressiona, é na pista que ele mostra toda a sua glória. Ativando um dos modos de condução ; são seis no total, entre o Normal e o Pista ; todas as configurações são otimizadas, do câmbio ao ronco do motor. Na função mais arisca, o controle de tração fica desligado. Com isso, o motorista sente mais o carro, que desliza levemente nas curvas, deixando a condução mais divertida.


Em um autódromo como Interlagos, com retas de alta velocidade e trechos de curvas fechadas, é possível perceber toda a dinâmica de um veículo. E quando falamos do Mustang, que tem a esportividade impregnada na estrutura, é fácil andar na pista. O muscle car acelera como qualquer V8, brutalmente. As curvas são feitas de forma suave, sem o temor da perda de controle, os bancos tipo concha ajudam a deixar tanto o motorista quanto o passageiro ;colados; no assento. E, como todo bom esportivo ; nisso ele é excelente ; freia muito bem. Em resumo, é um carro que beira a perfeição. É muito mais do que tudo que sempre falam dele.

* O repórter viajou a convite da Ford


Haras brasiliense
Apenas no período de pré-venda foram vendidas 275 unidades do Mustang. Dessas, 187 foram emplacadas nos diversos estados brasileiros. Brasília, por enquanto, é o líder entre todos os mercados do país. Até o momento, foram comercializados 12 Mustangs na capital federal. Isso representa 6.5% do total dos modelos emplacados.


Ficha técnica
  • Motor: V8 5.0 de 466cv a 7.000rpm e torque de 55,3kgfm a 4.600rpm
  • Dimensões: 4.788mm de comprimento; 1.915mm de largura; 1.379mm de altura e 2.720mm de entre-eixos;
  • Transmissão: automática de 10 velocidades
  • Direção: elétrica
  • Suspensão: independente nas quatro rodas
  • Pneus: 255/40 R 19 na dianteira e 275/ R19 na traseira
  • Freios: a disco nas quatro rodas
  • Preço: a partir de R$ 299,9 mil


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação