O que faz o amor pelos games

O que faz o amor pelos games

postado em 02/09/2018 00:00
 (foto: Arquivo Pessoal)
(foto: Arquivo Pessoal)

;Brasília completa 10 anos no mercado de jogos independentes. E nossos jogos fogem dos estereótipos daqueles jogos vazios ou violentos;
Saulo Camarotti



Imaginar, criar e jogar os próprios games pode ser um negócio de muitos e muitos. Mas não podemos dizer que todas as tentativas para viver a plenitude desses planos dão tão certo quanto deram para Saulo Camarotti, 32 anos.

Ele é fundador da Behold Studios, uma produtora de jogos indies com quase uma década de existência e um histórico recheado de números de impacto. Ao longo desse período, produziu 15 games e abocanhou 54 prêmios nacionais e internacionais.

;Brasília completa 10 anos no mercado de jogos independentes. E nossos jogos fogem dos estereótipos daqueles jogos vazios ou violentos. Os indie games buscam ser um canal de expressão de artistas e criadores, contando histórias, criando experiências genuínas e falando de aspectos mais profundos da humanidade;, explica Saulo, que hoje tem como sócios Leonardo Brunk, Betu Souza, Guilherme Mazzaro e Hugo Vaz.

Um dos jogos criados pela Behold, o Galaxy of Pen & Paper, além dos já conquistados prêmios internacionais, concorre na Sérvia pelo Indie Prize Show Case, em outubro deste ano, como o melhor jogo independente.

Tal trajetória ajudou a colocar Brasília entre as cinco maiores cidades produtoras de games do Brasil. Saulo acredita que Brasília inspira as pessoas ;a fazer algo fora da caixinha;. ;Os coletivos de Brasília são mais abertos à troca de experiências.;

Coworking
Esse clima de troca foi experimentado na prática por Saulo. Depois de incubada na UnB, a Behold passou a habitar uma sala e depois uma casa no Lago Norte, a Indie House. Moravam nove pessoas e trabalharam 25, de cinco estúdios de games. Juntos, eles conquistaram prêmios e descobriram que o ambiente de trabalho compartilhado era promissor.

Há um ano, mudaram-se para um galpão no Lago Norte. No próximo dia 15, Indie Warehouse comemora um ano de absoluto sucesso, com uma programação intensa de palestras, além da abertura de exposição permanente, a Brasília Indie Games. Motivos não faltam para celebrar. Em um ano, 282 pessoas de 35 empresas ; entre elas, 10 de games ; trabalharam no coworking. Em conjunto, produziram 54 jogos, quatro já lançados, e comemoram juntos muitas premiações.

A Indie Warehouse teve R$ 4 milhões em investimento público e R$ 500 mil em investimentos privados. Produziu 34 eventos abertos ao público, sendo 29 de games; recebeu palestras e cursos de 26 mentores e consultores externos, representando 19 empresas, como Catarse, Unity, Unreal, IGN e 11bit, entre outras estatísticas impressionantes para um negócio tão jovem. (CG)











Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação