Brasília-DF

Brasília-DF

por Denise Rothenburg » deniserothenburg.df@dabr.com.br
postado em 21/09/2018 00:00

Pagamento forçado

Candidatas dos mais variados partidos foram à Justiça para obter os 30% de recursos para financiamento de campanha. Em Goiás, por exemplo, candidatas como Eulinda Brito, do PSD, que é procuradora, só conseguiram algum depois da ação judicial. Os partidos, por sua vez, correm para atender às candidatas que recorrem aos tribunais. É que, a menos de um mês da eleição, não dá para correr o risco de ver os recursos represados, porque o partido descumpriu ordem judicial e só garantir a liberação depois das eleições. Nessa hora do desespero, qualquer centavo é considerado bem-vindo.

Caladinho aí

Depois de o general Hamilton Mourão, candidato a vice, ser enquadrado por Jair Bolsonaro, chegou a vez de Paulo Guedes. Por ordem do ;chefe;, o economista cancelou, de última hora, um encontro com empresários no Credit Suísse, ontem em São Paulo. O receio agora é a turma do mercado pisar forte no freio. Ao que tudo indica, já pisou.

Ninguém segura

O general Augusto Heleno, que tem papel central na campanha de Jair Bolsonaro, foi escalado para tentar conter as falas de Mourão. Mas, quem conhece o candidato a vice assegura que Heleno não conseguirá cumprir essa missão. Afinal, como já dissemos aqui, general não bate continência para capitão. Porém, se Bolsonaro for eleito, a história é outra. Para o presidente da República, todos têm que bater continência.

Por falar em Bolsonaro;

Os médicos não deram qualquer previsão de alta hospitalar para o candidato do PSL, Jair Bolsonaro.

Agora ou nunca I

A equipe do candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, tratava o debate da Conferência dos Bispos do Brasil (CNBB), em Aparecida (SP), como a chance para tentar arrancar votos de Jair Bolsonaro e daqueles que rejeitam o PT. A ordem era reforçar que seu plano econômico não trará de volta a CPMF e, de quebra, se colocar como o candidato com experiência administrativa, algo que Jair Bolsonaro não tem.

Agora ou nunca II

A avaliação dos tucanos é a de que a saída para tirar Geraldo Alckmin do atoleiro está no programa exibido ontem, que traz a mensagem de que os extremos não são bons para o país. O comando tucano considera que os próximos dias serão cruciais para levar os eleitores a essa reflexão.


CURTIDAS

Tete a tete tucano/
O candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, teve uma conversa a portas fechadas com Fernando Henrique Cardoso. O ex-presidente ficou de ajudar a conter a debandada de aliados.


Por que não te calas?/ Um dos que o grão tucano deve conversar é o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio (foto), que tem dito cobras e lagartos a respeito do candidato.

Ciro versus Haddad/ O candidato do PDT, Ciro Gomes, chegou a Aparecida disposto a partir para cima do candidato do PT, Fernando Haddad, que teve ontem à noite seu primeiro debate.

Sentiram o tranco/ A equipe do candidato do PSL, Jair Bolsonaro, organizou uma carreata com um festival de fogos em frente ao centro de eventos da Basílica de Aparecida, local do debate entre os presidenciáveis. Esse era o único confronto de primeiro turno que o deputado tinha planejado participar, nessa reta final.


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação