Tantas Palavras

Tantas Palavras

postado em 16/11/2019 00:00
tudo é silêncio
e as horas dos dias são portos
para o imenso nada

eu os vejo de longe
e nunca estou

mas sempre estou nas ondas
carregadas de tristeza
no alarido das segundas-feiras
à beira dos fracassos
no passo antes do abismo
nas crises que nunca chegam
e, entretanto, se anunciam demais

nada peço
ou espero
nada
porque tudo aí está
dado, consumado
e o estrago dói mais se o recusar

lembro a alegria das
tardes sem calor

e entendo:
eu só estou na dor
e só

Alexandre de Paula

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação