Dor de cotovelo

Dor de cotovelo

Argentina domina de forma avassaladora lista de goleadores. Carente de camisas 9, Brasil não arremata artilharia há dois anos e vê seu último representante %u2014 São Paulo %u2014 dependente de Calleri

postado em 20/05/2016 00:00
 (foto: Rubens Chiri/Site do São Paulo)
(foto: Rubens Chiri/Site do São Paulo)


Recordista de artilharias na história da Copa Libertadores da América ; 30 ;, o Brasil caminha para o segundo ano consecutivo sem representantes entre os três principais matadores do maior torneio de clubes do continente. Na atual edição, o pódio é formado apenas por atletas da Argentina, que domina o ranking e deve arrematar a lista pela 26; vez na história da competição.

O grande goleador da Libertadores em 2016 joga em clube brasileiro. Jonathan Calleri, atacante do São Paulo e semifinalista da competição, lidera a lista com oito gols. O argentino é seguido por mais dois compatriotas: Marco Rúben, do Rosário Central; e Ismael Sosa, do Pumas. Ambos entrariam em campo ontem à noite. Em toda a história do torneio sul-americano, jamais um país dominou as estatísticas de artilharia dessa maneira.

Entre os clubes brasileiros que participaram da Copa Libertadores neste ano, o domínio também é argentino. Além de Calleri, o eliminado Atlético-MG contou com quatro gols de Lucas Pratto, nascido em La Plata, capital de Buenos Aires. Contando apenas os times do Brasil, o camisa 9 da equipe mineira é vice-artilheiro.

O melhor brasileiro em número de de gols é o atacante Gabriel Jesus, do Palmeiras. O alviverde foi eliminado ainda na primeira fase da Copa, mas a promessa alviverde fez quatro gols nos cinco jogos em que entrou em campo, sendo um dos poucos destaques da fraca campanha do Verdão.

Desde que a Libertadores é disputada nos moldes atuais ; oito grupos de quatro equipes ;, esta pode ser a segunda edição em que nenhum brasileiro figura entre os três principais goleadores. No ano passado, o país também ficou fora do top 3. Gustavo Bou,(Racing), Carrillo, (Estudiantes), Bolaños (Emelec) e Santander (Guaraní) ; os dois últimos empatados ;, foram os líderes de gols.

Brasil e Argentina são os países que mais produziram artilheiros na história da Libertadores da América. Ao todo, 30 jogadores brasileiros terminaram a competição na artilharia, em outras 25 oportunidades, os hermanos lideraram a estatística.

Apesar de não ter muita tradição no torneio, o Equador, que produziu apenas um time campeão ; a LDU, em 2008 ;, é o país do maior artilheiro da principal competição interclubes sul-americana: Alberto Spencer Herrera fez 54 gols entre 1960 e 1972, sendo 48 pelo Peñarol e seis com a camisa do Barcelona de Guayaquil. Spencer se naturalizou uruguaio e foi o artilheiro da primeira edição da Copa, ao balançar a rede sete vezes pelo Penãrol.

Luizão disputou a Libertadores por Vasco, Corinthians, Grêmio e São Paulo e marcou 29 vezes, se tornando o sexto maior goleador da competição e o melhor brasileiro no ranking. Daniel Onega, da Argentina, marcou 17 vezes pelo River Plate em 1966 e é o recordista em gols marcados em uma única edição do torneio.

Artilheiros

Ranking da Libertadores-2016

Jogador Gols Clube País

Jonathan Calleri 8 São Paulo Argentina
Marco Rúben 7 Rosário Central Argentina
Ismael Sosa 6 Pumas Argentina
Carlos Tévez 5 Boca Juniors Argentina
Ramón Ábila 5 Huracán Argentina
José Angulo 5 Independiente del Valle Equador
Junior Sornoza 5 Independiente del Valle Equador
Michel Santos 5 River Plate Uruguai
Fernando Uribe 5 Toluca Colômbia
Lucas Pratto 4 Atlético-MG Argentina

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação