Vândalos picham placas padrão Fifa

Vândalos picham placas padrão Fifa

» MARIANA LABOISSIÈRE » CAMILA COSTA
postado em 07/05/2014 00:00
 (foto: Mariana Laboissière/CB/D.A Press)
(foto: Mariana Laboissière/CB/D.A Press)

A pouco mais de um mês para a Copa do Mundo, quando Brasília receberá grande número de turistas e sete partidas do Mundial, milhares de placas de endereçamento na cidade estão pichadas. Até mesmo as com o padrão Fifa, instaladas recentemente, sofrem com o vandalismo. Uma delas, na W3 Sul, indica o Setor Hospitalar. Ao lado da grafia, há rabiscos em preto e, sobre eles, uma tinta amarela. Na época da Copa das Confederações, em junho de 2013, várias sinalizações desse mesmo perfil foram depredadas. Todas na área central de Brasília. A manutenção e a recuperação de cerca de 2 mil delas custam, em média, R$ 632 mil por ano. As informações são da Secretaria de Transporte.

O ex-administrador da Candangolândia João Hermeto de Oliveira Neto calcula ter feito a limpeza de 22 placas da Fifa no ano passado. Na gestão dele, o órgão utilizava um produto barato, comprado pela internet, para realizar as remoções em até 10 minutos. ;Na época, o governador ligou e pediu para realizar o serviço no DF. Então, localizamos várias pichações em placas na Asa Sul, na Asa Norte e no Lago Sul;, contou.

Além das sinalizações para a Copa do Mundo, a Secretaria de Turismo começou a instalar, em fevereiro, placas bilíngues no Plano Piloto. Até o fim de maio, a pasta pretende completar a fixação de 1.219 equipamentos, ao preço de mais de R$ 1,2 milhão. ;O nosso objetivo é preparar Brasília para ser uma cidade cada vez melhor. Uma boa sinalização auxilia na locomoção das pessoas e transmite informações valiosas sobre os nossos atrativos. É um recurso indispensável para o desenvolvimento do turismo local;, alertou o secretário de Turismo, Luis Otávio Neves.

Pichar edificações ou monumentos é crime previsto pela Lei Federal n; 9.605/98, que prevê pena de 3 meses a 1 ano de prisão, além de multa. Em casos de bens tombados pelo Patrimônio Histórico, a punição é maior: de 6 meses a 1 ano. Segundo a Divisão de Comunicação da Polícia Civil (Divicom), a detenção mais recente aconteceu em 1; de maio, quando uma pessoa foi flagrada pichando a mureta de proteção do viaduto do metrô, entre a QE 20 e a QE 13, no Guará.


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação