Uma peça "exótica"

Uma peça "exótica"

postado em 17/05/2014 00:00
A propaganda publicitária produzida pelo PT continua repercutindo entre opositores. Ontem, ela foi caracterizada como ;uma apresentação exótica; pelo presidenciável do PSDB, Aécio Neves, e como um ;desserviço; pela pré-candidata à Vice-Presidência na chapa PSB-Rede, Marina Silva. Com uma mensagem que evoca o discurso do medo e afirma que os eleitores devem evitar a volta ao passado, o vídeo começou a ser veiculado na última terça-feira. A propaganda petista faz referência aos dois maiores opositores, chamando Eduardo Campos (PSB) de ;salto no escuro para o futuro; e o tucano de ;passo para o passado;.

O presidente do PSDB falou sobre o assunto em São Paulo. ;O programa do PT brindou os brasileiros com uma apresentação exótica. Colocou o partido do mensalão como aquele que mais combate a corrupção, apresentou um governo que realizou inúmeras obras de mobilidade, mas grande parte delas está no meio do caminho em razão da incapacidade gerencial. É um governo que tenta embutir na sociedade o medo, disfarçando que quem tem medo hoje é o PT, de perder as eleições, perder o governo;, enumerou.

De acordo com Aécio, o governo quer convencer a população brasileira de que é melhor deixar as coisas como estão. ;Isso é uma fraude intelectual do PT, porque eles sabem exatamente como era o governo do presidente Fernando Henrique. Isso é desrespeitar a população e fazer pouco da inteligência dos brasileiros;, disse em relação à comparação feita no programa entre a inflação nos governos Dilma e FHC.

A pré-candidata à Vice-Presidência na chapa de Eduardo Campos (PSB), Marina Silva, considerou o vídeo como um ;desserviço; à sociedade. Para ela, as conquistas de cada governo devem ser tratadas de forma institucional, não como mérito de partidos, e que as melhorias conquistadas não devem ser vistas como um favor feito ao povo, mas como um dever. ;Temos que educar os partidos políticos para que não fiquem ;fulanizando; as conquistas;, disse.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação