Sr. Redator

Sr. Redator

Cartas ao Sr. Redator devem ter no máximo 10 linhas e incluir nome e endereço completo, fotocópia de identidade e telefone para contato. E-mail: sredat.df@dabr.com.br

postado em 19/06/2014 00:00


Copa e satélites

Trinta e quatro satélites transmitem a Copa do Mundo. Quantos brasileiros? Nenhum. O país do futebol não produz nem satélites de telecomunicações nem foguetes que possam lançá-los. Gastos com a Copa do Mundo: R$ 35 bilhões, havendo quem diga que vão superar os R$ 60 bilhões. Gastos apenas com o Estádio Mané Garrincha: R$ 2 bilhões. Gastos previstos, por quatro anos, 2012 a 2015, com a política espacial brasileira: R$ 1,5 bilhão ; quase sempre contingenciados ou cortados. Que país é este?
Fernando Rocha, Condomínio Solar de Brasília

Seleção
Contra a Croácia é fácil jogar. Contra um time intermediário, como o México, as coisas se complicam. Fred e Oscar mais parecem galinhas mortas. A Seleção jogou um pouquinho melhor com as entradas de Jô, William e Bernard. O erro começou ainda na convocação, quando o treinador não convocou um meio-campo habilidoso para fazer as jogadas criativas com Neymar. Caso Felipão ainda pense que está escalando o time correto, por favor, alguém compre óculos de grau para o treinador.
Cezar Mariano, Taguatinga Sul

; Mais um péssimo árbitro (cadê a CBF?) deu cartão na primeira falta de Ramirez, mas não fez o mesmo aos dois minutos, numa falta violenta mexicana. Oscar e Fred apagadíssimos, deu pena! Fred, em 16 participações, ganhou duas. Nas outras, estava impedido ou perdeu a bola. Melhoramos e saimos do sufoco depois da entrada de Jô e Bernard. Hernane seria mais útil ao time. Paulinho dá mostras de estar totalmente fora de forma. Aos 45 minutos da etapa final, Neymar amarrou um barbante e, depois de insistir em dribles, deixou de passar e perdeu a bola, num ataque quase mortal. O time esteve atônito na maior parte do segundo tempo, desorientado mesmo. Não soube sair da marcação do time mexicano. Como querer ser campeão, com tantas dificuldades?
Júlio José de Melo,Sete Lagoas (MG)


Vaias

Quando canta o Hino Nacional à capela: povo brasileiro. Quando vaia a presidente da República: elite paulista. Afinal, o que querem? O monopólio no perímetro Fifa, nos estádios, contraria todas as disposições antitruste da Constituição e da legislação brasileira. Culpa do governo federal e de suas benesses extralegais concedidas à Fifa. Certamente isso explica a presença ;elitista; nos estádios, a cerveja custando R$ 13 e o interesse zero em promover ingressos populares e promocionais. Por fim: xingar a presidente é ofensa e humilhação, portanto, algo deplorável e vergonhoso. Mas vaiar é ato político.
Ricardo Santoro, Lago Sul

Joaquim Barbosa
O ministro-presidente do STF, Joaquim Barbosa, renunciou à relatoria da Ação Penal n; 470 (mensalão). Foi uma atitude corretíssima. Não pode se deixar levar por pressão ou politicagem, tanto do Executivo quanto de advogados dos réus presos na Papuda e em outros presídios país afora. Acho importante que o presidente Joaquim Barbosa não se deixe abater e também não fique um só minuto após o novo presidente do Supremo assumir. Parabéns, ministro Joaquim Barbosa. O senhor sempre nos acalanta com suas decisões sábias.
José Monte Aragão, Condomínio Alto da Boa Vista

Transporte
Tentei ir ao Aeroporto JK de transporte público. Após 50 minutos de espera, acabei indo de carro. Na volta foi pior. Esperei uma hora e 50 minutos pelo ônibus, optando por pegar dois para chegar à Asa Norte. No ponto, ouvi vários estrangeiros reclamando: é esse o transporte público que nos oferecem? Com a Copa, o transporte mudou muito, como diz a propaganda. Para pior.
Humberto Pellizzaro, Asa Norte

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação