Estado Islâmico degola repórter e ameaça os EUA

Estado Islâmico degola repórter e ameaça os EUA

Estado Islâmico divulga vídeo da suposta decapitação de Steven Sotloff, o segundo jornalista americano mortoem duas semanas. Grupo adverte Washington e aliados a interromperem ofensiva no Iraque. Especialistas veem Ocidente como alvo

RODRIGO CRAVEIRO
postado em 03/09/2014 00:00
 (foto: TV/Reuters)
(foto: TV/Reuters)







Antes de levar a faca ao pescoço do jornalista Steven Sotloff, 31 anos, o executor ; de capuz e roupas pretas ; lança uma advertência ao Ocidente. ;Aproveitamos essa oportunidade para alertar aqueles governos que entraram nessa aliança do mal contra o Estado Islâmico a recuarem e a deixarem o nosso povo em paz;, afirma o terrorista, cujo sotaque britânico sugere ser o assassino do cinegrafista James Foley, morto há duas semanas. Pouco depois, a cabeça de Sotloff aparece deixada sobre o corpo, no deserto. Para especialistas em terrorismo, a decapitação é uma amostra do que os jihadistas são capazes, caso Washington e aliados levem adiante o combate ao Estado Islâmico (EI) no Iraque. De acordo com eles, a facção liderada por Abu Bakr Al-Baghdadi pode retaliar com nova era de terror, marcada por atentados espetaculares e por operações frequentes na Europa e nos EUA. O anúncio da execução do jornalista coincide com a divulgação da detenção de 88 extremistas na Arábia Saudita.

No vídeo de dois minutos, intitulado ;Mensagem à América;, Sotloff aparece ajoelhado diante do algoz, no deserto, e se dirige ao presidente dos Estados Unidos. ;(Barack) Obama, sua política externa de intervenção no Iraque supostamente era voltada para preservar as vidas e os interesses da América. Estou pagando o preço de sua interferência com minha vida. Não sou um cidadão americano?;, afirma. Na filmagem, o executivo britânico David Haines é apresentado e ameaçado pelo terrorista. A Casa Branca coordena a formação de uma coalizão para derrotar os jihadistas e já recebeu a adesão de Alemanha, França e Reino Unido. O assassino de Sotloff se refere à aliança como ;uma política externa arrogante;. O Departamento de Estado americano trabalha para confirmar a autenticidade do vídeo. ;Se for genuíno, estamos enjoados por este ato brutal;, disse a porta-voz Jennifer Pskaki. A família do jornalista pediu respeito ao luto. Há poucos dias, a mãe de Steven implorou por clemência a Al-Baghdadi.

Magnus Ranstorp, especialista do Colégio de Defesa Nacional da Suécia, acredita que o EI esteja ;pronto; para atacar o Ocidente. ;É provável que a campanha da facção se torne muito pior em termos de volume e de frequência de atentados;, admitiu, pela internet. Ele prevê uma guerra regional de longa duração no norte do Iraque e adverte sobre a reaparição da rede Al-Qaeda, fundada por Osama bin Laden. ;Por conta do sucesso do Estado Islâmico, muitos creem que ela será forçada a exibir força, lançando ataques espetaculares;, comenta. ;O Estado Islâmico conquistou o humor entre os extremistas e os jovens, por meio das mídias sociais. As operações de inteligência do Ocidente, ao mapear quem controla nós críticos na cadeia de comando do Estado Islâmico, levaram os jihadistas a apelarem à estratégia da decapitação combinada com uma ;guerra de procuração;;, explica.

O francês Jean-Charles Brisard, expert em Al-Qaeda, explica ao Correio que o vídeo de Sotloff se insere na lógica da confrontação com os EUA e, ao mesmo tempo, reivindica a luta pela liderança da jihad global. ;Esse contexto fornece a oportunidade para o grupo ampliar a legitimidade e a influência.; Ele aposta que a decapitação vai acelerar a coalizão e colocar o Ocidente frente a um dilema: até que ponto combater o EI na Síria e, indiretamente, fortalecer o ditador Bashar Al-Assad e outras organizações? ;A ameaça é internacional. O EI tem a habilidade de atacar o Ocidente por meio de milhares de jihadistas que retornarão para casa e se voltarão contra o próprio país.; O presidente francês, François Hollande, e o premiê britânico, David Cameron, condenaram a suposta execução. ;Esse ato bárbaro, após o assassinato de outro jornalista, James Foley, revela a natureza repugnante do Estado Islâmico;, disse Hollande. Cameron qualificou o vídeo de ;absolutamente repugnante;. ;Se confirmado, é um assassinato ignóbil e bárbaro.;

Prisões
A Arábia Saudita anunciou, ontem, ter prendido nos últimos meses 88 supostos terroristas. Os 85 sauditas e três iemenitas foram capturados em diferentes lugares do reino. Pelo menos 59 tinham sido ;presos anteriormente por vínculos com o grupo desviado;, como os sauditas costumam chamar a Al-Qaeda. Entre 2003 e 2006, a Arábia Saudita sofreu uma onda de atentados atribuídos ao grupo de Bin Laden. Os suspeitos foram libertados no âmbito de um programa de reabilitação lançado em 2007.



Uma roqueira
se alia à jihad


Sally Jones, mãe de duas crianças, trocou a cidade de Chatham, no Reino Unido, por Raqqa, na Síria. Também mudou de nome e passou a se chamar Umm Hussain Al-Britani. A paixão pela guitarra foi substituída pelo islã radical. Jones passou a divulgar suas ideias virulentas por meio do microblog Twitter. ;Vocês, cristãos, precisam ser decapitados com uma boa faca cega e presos nos trilhos de Raqqa. Venham aqui e faremos isso por vocês;, escreveu a mulher.



Três perguntas para



Abu Bakr Al-Kurdi,
militante sírio do Estado Islâmico, 38 anos, há seis anos na facção

Por que decidiram decapitar
o jornalista Steven Sotloff?
Meu amigo, os Estados Unidos estão nos matando. O que você esperava de nós? Estamos em guerra. Acredite em mim. Tudo o que fazemos está de acordo com o que o islã real diz.

Como pretendem reagir ante a formação de uma coalizão
internacional liderada pelos EUA?
Nós estamos prontos. Temos nossa estratégia. A guerra estará em todos os lugares. Todos devem saber que temos trabalhado muito por esses dias.

Vocês levarão essa
batalha para o Ocidente?
Nosso povo já está lá. Vamos fazer os Estados Unidos esquecerem o 11 de Setembro. (RC)



Pontos de vista

Por Magnus Ranstorp

Tática
antiga


;Os Estados Unidos estão bem acostumados a essa situação. É uma reedição do que ocorreu no Iraque em 2003, quando o Estado Islâmico do Iraque e do Levante (ISIS, precursor do Estado Islâmico) decapitou americanos e estrangeiros. A execução de Steven Sotloff vai levar ao aumento da islamofobia no Ocidente. O Estado Islâmico combateu a ocupação do Iraque por uma década. Eles sabem como adotar a tática do lutar e se esconder. São bem abastecidos com dinheiro e armamentos. Usam o sectarianismo como combustível para a mobilização. Também são mestres em guerra psicológica.;



Especialista em terror pelo Colégio de
Defesa N

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação