R$ 2 milhões roubados de correntistas

R$ 2 milhões roubados de correntistas

Quadrilha lesava correntistas de bancos ao oferecer redução nos valores de taxas e impostos, como o IPTU, para roubar senhas. Criminosos gastaram R$ 2 milhões em viagens, festas, armas e drogas

» ANTONIO TEMÓTEO » ROBERTA PINHEIRO
postado em 30/09/2014 00:00
 (foto: DCS/Polícia Federal/Divulgação)
(foto: DCS/Polícia Federal/Divulgação)


A Polícia Federal prendeu ontem pelo menos 18 homens que integravam uma quadrilha acusada de desviar R$ 2 milhões ao aplicar golpes em correntistas de bancos que usam serviços pela internet. O delegado Stênio Santos explicou que o grupo enviava milhares de e-mails oferecendo descontos para o pagamento de Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e de Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). Ao acessar o link da mensagem, o correntista era direcionado para uma página falsa da instituição financeira e informava dados e a senha, que eram armazenados pelos criminosos. Além dos endereços eletrônicos adulterados, os bandidos enviavam mensagens com vírus que capturavam os números da conta, da agência e do código de acesso.


Na posse das informações, os integrantes da quadrilha pagavam o valor integral do boleto e desviavam de R$ 400 a R$ 9.999 para conta de laranjas. Quatro suspeitos são moradores do Distrito Federal: dois de Santa Maria, um de Ceilândia e outro de Taguatinga. No Entorno, foram cumpridos 12 mandados. Desse total, nove em Águas Lindas, dois em Valparaíso e um no Jardim Ingá, todas localidades goianas. A Polícia Federal ainda encontrou dois integrantes da quadrilha em São Paulo. Na capital paulista, funcionava um núcleo do bando que acessava contas em todo o país.

Santos detalhou que os integrantes da quadrilha são jovens de classe média e têm entre 20 e 35 anos. Na casa deles, foram apreendidos smartphones, HDs, pen drives, boletos bancários e bens que, segundo a polícia, são incompatíveis com a ;capacidade financeira; dos suspeitos. ;O hacker agia pela internet obtendo as senhas e os dados bancários de clientes de instituições bancárias, dos quais faziam pagamento de boletos, recargas de celulares e transferências bancárias para contas de laranjas;, disse.

Na operação, batizada de IB2K, foram cumpridos oito mandados de prisão preventiva, 10 de prisões temporárias e 35 de busca e apreensão.

Luxo
O delegado ainda comentou que a investigação começou após receber da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil informações de que transferências de recursos estavam ocorrendo sem a permissão dos correntistas. Pelo menos 500 pessoas foram lesadas pela quadrilha entre novembro de 2012 e julho do ano passado. As investigações apontaram que os membros da quadrilha gastavam o dinheiro roubado com viagens, festas, instalação de som em veículos e compra de armas e drogas.

A PF explicou que os correntistas devem ficar atentos para evitar prejuízos com esse tipo de fraude. A primeira recomendação é manter atualizados sistemas de antivírus, firewall e suspeitar de promessas e descontos que não são praticados pelo mercado. ;As pessoas devem duvidar dessas propostas que trazem benefícios excessivos. O ideal é que nunca acessem a conta por meio de links por e-mail, para evitar o roubo dos dados;, completou.

Os suspeitos devem ser indiciados pelos crimes de furto qualificado mediante fraude, participação em organização criminosa e lavagem de dinheiro. Eles podem pegar até 30 anos de prisão. Conforme a Polícia Federal, os beneficiários dos desvios de dinheiro, entre parentes e amigos dos bandidos, também deverão responder pelos mesmos crimes. Procurados, Banco do Brasil e Caixa não se manifestaram sobre as fraudes.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação