ARI CUNHA

ARI CUNHA

Desde 1960 Visto, lido e ouvido aricunha@dabr.com.br com Circe Cunha / circecunha.df@dabr.com.br

postado em 20/11/2014 00:00



Desmoralizando o futuro

Uma das mais nefastas heranças que um governo pode deixar para seu sucessor e, por extensão, para a sociedade em geral, sem dúvida nenhuma é a desmoralização das instituições do Estado. Ao tornar débeis os organismos individualmente, o gestor compromete o corpo como um todo, levando ao colapso não só a administração pública, mas, sobretudo, a credibilidade que o cidadão deposita no Estado. Até os atos de corrupção podem ser sanados com a devolução dos recursos desviados, multas e condenações dos envolvidos. O mesmo não ocorre com a desmoralização das instituições. Seus efeitos são perenes e se estendem para o futuro, contaminando outras instituições em cadeia e rompendo com os laços da cidadania. Infelizmente, é essa a herança que vai ficar deste governo. A relação das instituições que foram, na última década, aparelhadas, instrumentalizadas, esvaziadas ou simplesmente desmanteladas é tão extensa que não cabe neste espaço. Em seu conjunto, os órgãos reguladores ; como as agências nacionais de Água, de Telecomunicações, do Petróleo, de Energia Elétrica e outras do gênero ; perderam o poder de regular e fiscalizar cada setor. Perderam também a credibilidade perante a sociedade. Também os órgãos de fiscalização, como os tribunais de contas e a Controladoria-Geral da União, para ficar apenas nesses, foram desprestigiados ou desvalorizadas em suas atuações. Nesse processo gradual de desmoralização, até instituições de pesquisa como o Ipea e o IBGE foram seriamente atingidas, o que comprometeu a credibilidade de seus estudos e análises. Ainda não satisfeito com o desmonte geral das instituições, o governo federal investe agora no esquartejamento da Lei de Responsabilidade Fiscal, buscando uma alquimia matreira, capaz de transformar deficit em superavit. Ao erguer um escombro imenso de instituições destroçadas e sem credibilidade, o que se avista ao longe é a desmoralização do futuro para todos, sem exceção.



A frase que não foi pronunciada


;A presidente Dilma
tem o que querer?;


Rapaz no portão da Granja do Torto, respondendo
se a presidente queria se encontrar com Lula.




Nova lei

; Substitutivo do deputado Osmar Serraglio segue para a CCJ da Câmara. O assunto trata da PEC n; 215, que dá ao Congresso Nacional a responsabilidade de aprovar a demarcação das terras indígenas e ratificar as demarcações já homologadas.


Default

; O CNJ vai impedir que juízes atuem em ações defendidas por escritórios de advocacia em que trabalhem pessoas com as quais tenham qualquer relação de parentesco. A ideia é do presidente do Conselho Federal
da OAB, Marcus Vinicius Furtado Coelho.


Indignidade

; Com a greve do pessoal da limpeza, algumas escolas do governo estão sem aula. Em pleno fim de semestre, a situação é caótica para os alunos. As merendeiras também cruzaram os braços. Se no Centro de Ensino do Lago Norte a situação está assim, nas regiões do Entorno deve estar pior.


Exemplo para o DF

; No Paraná, há uma Gerência de Unidades de Conservação, coordenada pelo Instituto Ambiental do estado. O encontro no Parque Estadual do Cerrado, em Jaguariaíva, nos Campos Gerais, tratou de questões de gestão e desenvolvimento sustentável para a conservação da biodiversidade.


Simples

; São, ao todo, 68 unidades, apenas 23 das quais abertas à visitação. Nas demais, podem ser realizadas pesquisas científicas, para sustentar a ação Programas Estaduais de ICMS Ecológico e parcerias público-privadas.


Sucesso

; Xodó da maioria dos senadores, o Programa Jovem Senador é uma das formas mais efetivas e positivas socialmente de interação entre o Senado e jovens estudantes. Kaique Porto, da escola pública de Pocinhos, no agreste paraibano, foi o vencedor da redação ;Se eu fosse senador;. Kaique será senador e vai participar de todo o processo legislativo com outros jovens também classificados.



História de Brasília

O doutor Paulo de Tarso precisa saber que não há luz nas casas da Asa Norte. E, a continuar assim, veremos, em breve, florescer na W3-RN a indústria dos motores, fornecendo luz a preços altíssimos. (Publicado em 1/8/1961)



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação