Reymar da espanha

Reymar da espanha

Jogo a jogo, a campanha quase perfeita que coroou o brasileiro com o título espanhol %u2014 o primeiro dos três possíveis na temporada. Saiba como Luis Enrique extraiu ao máximo o potencial goleador do craque

Marcos Paulo Lima
Marcos Paulo Lima
postado em 18/05/2015 00:00


Demorou, mas chegou. Aos 23 anos, Neymar, enfim, é campeão nacional. Depois de quatro frustrações no Campeonato Brasileiro ; 2009 a 2012 ; e de um vice no Espanhol na temporada de 2013/2014, a vitória de ontem do Barcelona sobre o Atlético de Madrid, por 1 x 0, com gol do parça Messi, encerrou a espera. O título foi comemorado no Vicente Calderón, um troco perfeito do que ocorreu no ano passado, quando a trupe de Diego Simeone festejou o título dentro do Estádio Camp Nou.

Único concorrente que poderia adiar a conquista do primeiro dos três títulos da sonhada tríplice coroa, o Real Madrid goleou o Espanyol por 4 x 1. Porém, com 89 pontos a uma rodada do fim, não alcançará os 93 do arquirrival. O Barça ainda pode arrematar a Copa do Rei, contra o Athletic Bilbao, e a Liga dos Campeões, diante da Juventus.

Um dos personagens do título, Neymar teve um papel de ator coadjuvante na 23; glória do Barcelona, mas precisou de uma dose de tolerância para dar um passo atrás e avançar dois à frente no vitorioso, mas desgastado, relacionamento com o técnico Luis Enrique.

Neymar deu chilique várias vezes na campanha do 23; título espanhol do Barça. Insatisfeito com as substituições, virou a cara para o comandante na saída de campo. Mal sabia que, nos bastidores, um software de Luis Enrique monitorava todos os passos do camisa 11 na temporada para extrair o melhor dele.

O momento crucial do relacionamento entre Neymar e Luis Enrique foi a partida contra o Almería, em 8 de abril. Nos ensaios para o duelo pela 30; rodada, o aplicativo da comissão técnica detectou saturação e fadiga muscular. Neymar estava sob pressão. No pior momento na temporada, tinha dois gols em 10 jogos. Pouco para quem chegou a ser o artilheiro do Barcelona na Liga das Estrelas ; à frente de Lionel Messi.

Luis Enrique não fraquejou. Deixou Neymar no banco de reservas diante do Almería e escalou Pedro. Neymar não fez cara feia. Descansou porque foi convencido por dois preparadores físicos pessoais a ser tolerante. O astro tem autorização do Barcelona para malhar fora do clube sob as ordens de dois personal trainers ; Ricardo Rosa e Rafael Martini. A dupla acompanha Neymar desde os tempos do Santos e aperfeiçoa o cliente em domicílio. Ambos também perceberam o cansaço do atacante e recomendaram a Luis Enrique poupá-lo.

Um dia no banco de reservas fez a diferença no desempenho de Neymar na reta final desta temporada. O brasileiro tem 11 gols nas últimas 11 exibições do Barcelona. Cheio de gás, foi decisivo nas quartas e nas semifinais da Liga dos Campeões diante do Paris Saint-Germain e do Bayern de Munique. Fez gol em todos os jogos de ida e de volta. O Barça eliminou o Bayern por 5 x 3 no placar agregado. Três bolas na rede foram de Neymar.

Apesar da queda de braço com Luis Enrique, Neymar rende muito mais na prancheta do desafeto do que na de Gerardo Martino. Sob as ordens do argentino, fez 15 gols em 41 jogos na temporada de 2013/2014. Entre tapas e beijos, contabiliza 37 bolas na rede em 48 partidas. A arrancada dele no fim da temporada pressionou o treinador a comparar a evolução do brasileiro a Messi, eleito quatro vezes o melhor do mundo. ;Acho que ele está no melhor clube para fazer história. É um jogador especial e único. Mas avaliar se é melhor que Messi... No futuro, veremos, mas aí o nível é alto;, respondeu aos jornalistas catalães.

Luis Enrique não exagera. Os números provam que Messi continua ao menos um degrau acima de Neymar. Com 37 gols em 48 jogos em 2014/2015, o brasileiro seria artilheiro do Barcelona em 74 das últimas 84 temporadas. E ainda faltam três jogos: a decisão da Copa do Rei, contra o Athletic Bilbao; a finalíssima da Champions League contra a Juventus; e a saideira do Espanhol.

"Acho que ele (Neymar) está no melhor clube para fazer história. É um jogador especial e único. Mas avaliar se é melhor que Messi... No futuro, veremos, mas aí o nível é alto"
Luis Enrique, técnico do Barcelona



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação