Jovem mata a ex, o cunhado e se suicida

Jovem mata a ex, o cunhado e se suicida

No Dia dos Namorados, funcionário da Procuradoria-Geral de Luziânia assassina a tiros a ex-companheira. A vítima havia registrado ocorrência horas antes

» GUILHERME PERA
postado em 14/06/2015 00:00
 (foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)
(foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)

Inconformado com o fim de um relacionamento, um funcionário da Procuradoria-Geral de Luziânia assassinou a tiros a ex-namorada e o irmão dela. Leandro Nurian Vidigal, 24 anos, pulou o muro de uma casa no Bairro Parque Estrela Dalva 4, no município goiano, arrombou a porta da residência e matou o militar Diego Tavares, 19 anos. Em seguida, atacou a bancária Brenda Tavares, 22. O crime aconteceu na noite de sexta-feira, Dia dos Namorados, horas depois de a jovem registrar uma ocorrência contra o acusado.

A aposentada Maria Alda Resende, 69 anos, avó de Brenda e de Diego, estava no local do crime. ;(O Leandro) Chegou falando que ia matar todo mundo. Atirou no Diego e atirou na Brenda. Ele ainda apontou a arma para mim, mas não disparou;, conta. ;Eu criei a Brenda, ela morava comigo desde pequena. E, agora, não está mais aqui;, lamenta. Diego morreu no local e Brenda, no Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF). Vizinhos relataram que ele a ameaçava.

O caso começou a ser investigado após Leandro ter sido encontrado morto às margens da BR-040. Ele capotou o carro quando seguia em direção a Cristalina (GO) e morreu ainda na noite de sexta. O corpo foi encontrado ontem pela manhã. Segundo a delegada plantonista da 1; Delegacia Distrital de Luziânia, Priscila Ribeiro, a hipótese estudada é de que ele tenha se suicidado. ;Havia um buraco de bala na cabeça de Leandro. Tudo indica que ele se alvejou dentro do carro e perdeu o controle do veículo;, detalha. A arma, no entanto, não foi encontrada.

Agressão e denúncia
Leandro e Brenda namoraram três anos. O relacionamento terminou havia quatro meses. Na noite anterior ao crime, o servidor público esteve no estacionamento do Centro Universitário de Desenvolvimento do Centro-Oeste (Unidesc), no Jardim Ingá, onde a bancária estudava contabilidade. Leandro agrediu um colega de curso da ex-companheira e desferiu socos contra o carro dela. Brenda, então, registrou ocorrência na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) da região. Menos de 24 horas depois, morreu.


Morte no motel

O funcionário público de 53 anos que morreu de uma parada cardiorrespiratória quando saía de um motel da Candangolândia, na noite de sexta-feira, Dia dos Namorados, foi enterrado na tarde de ontem. A cerimônia ocorreu no Cemitério Campo da Esperança, na Asa Sul. Casado e morador do Guará, o homem estava acompanhado da amante. A mulher dele reconheceu o corpo no próprio estabelecimento.

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, a vítima e a acompanhante passaram algumas horas em um quarto do motel. Quando se preparavam para ir embora, por volta das 21h, o funcionário público começou a passar mal, ainda na garagem. Uma empregada do local chamou os bombeiros e o Samu. Os paramédicos tentaram reanimar o homem durante 40 minutos. Ele morreu na própria garagem. A Polícia Militar chegou ao local momentos depois do Corpo de Bombeiros e buscou a mulher da vítima para reconhecer o corpo.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação