>> Sr. Redator

>> Sr. Redator

Cartas ao Sr. Redator devem ter no máximo 10 linhas e incluir nome e endereço completo, fotocópia de identidade e telefone para contato. E-mail: sredat.df@dabr.com.br

postado em 27/06/2015 00:00
Fundo do poço
O Brasil está no fundo do poço e não há esperança de tempo melhor. É a inflação em disparada; é o desemprego que cresce; são os preços que sobem e o poder de compra que desce. As medidas que foram tomadas, com a intenção de melhorar, até agora só deram sinais de que as coisas vão se agravar. Tem gente com saudade do tomate, da batata e da cebola também. Tem criança pedindo pão, mas o pai não tem um vintém. A incompetência do governo está custando caro à população. Desarranjaram a economia, e o Brasil caminha para a recessão. Há quem queira tapar o sol com a peneira. Chega até a ser engraçado. Se querem ouvir que está tudo bem, entrevistem Sibá Machado. Ele diz que a imprensa bate forte no governo e que desvirtua os fatos. Ah, se ele soubesse o quanto está difícil botar comida no prato. Os seguimentos industrial, serviços, construção civil e comércio estão devagar quase parando. O PIB rasteja e a quebradeira vai se alastrando.
; Jeovah Ferreira,
Setor Taquari


Crise
Nunca na história deste país os brasileiros sofreram tanto quanto nos últimos 13 anos. Parece até sina. O próprio numeral já indica. O PT e os governos Lula e Dilma são protagonistas de toda espécie de malfazeres. Durante todos esses anos, o povo, especialmente o enganado por Lula, lá no Norte e Nordeste, conseguiu criar um dicionário que somente o PT poderia protagonizar: mensalão, petrolão, pedalada, maracutaia, picaretas, cuecas, Lava-Jato, sanguessuga e tantas outras palavras, que quase não se ouvia falar. Mas, para piorar a lista, a senhora Dilma ilustrou a famosa mandioca, aipim, ou macaxeira, como queiram. A crise econômica, moral e ética no país é tão visível e a senhora Dilma brinca com o povo.
; José Monte Aragão,
Sobradinho


Câmara Legislativa
Parabenizo o artigo ;O jeito maroto de fazer política; (26/6, pág.11), que expôs as mazelas com objetividade. A Câmara Legislativa de Brasília se tornou espaço de salteadores ávidos por cargos e benesses que desgraçam e desorganizam o orçamento da capital. São verdadeiros mercadores que, em troca, oferecem serviço de má qualidade visando sempre os mesquinhos interesses particulares de poder. Apodreceram nos conceitos do bom senso, da cidadania e dos interesses da comunidade. Quando o DF era administrado pela Comissão do Distrito Federal do Senado Federal, os orçamentos tinham norte de desenvolvimento centrado no bem-estar da comunidade. Agora os cidadãos não têm segurança, saúde, educação e transporte. Parece tudo dominado por falsos legisladores. Seria muito bom que a comunidade anotasse e marcasse bem os nomes para não votar mais neles.
; Fernando Conde,
Lago Norte


; É muita cara de pau dos deputados distritais querendo desvirtuar o episódio do vazamento da conversa do pedido de cargos. O mais importante, e o mais grave, é o conteúdo da conversa, e não o vazamento. Aliás, os donos do mandato não são os senhores deputados, mas, sim, os eleitores. Os distritais são tão somente representantes, devendo prestar contas de todos os atos que são tomados em nome dos cidadãos. Não devem existir segredos quando falarem como deputados, pois estarão falando em nome do dono do mandato. Os senhores deputados foram eleitos para legislar na Câmara hipertrofiada, sendo os fiscais do governador, e não para trocar votos por cargos. Basta a série de privilégios que têm, como verba de gabinete maior do que a dos deputados federais, mordomias como carros oficiais, passagens aéreas etc.
; Paulo Molina Prates,
Asa Norte

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação