Produção de energia pode ser mais limpa

Produção de energia pode ser mais limpa

postado em 17/08/2015 00:00
 (foto: Acervo Abeeolica)
(foto: Acervo Abeeolica)



Os êxitos na redução das taxas de desmatamento foram, de fato, expressivos, e promoveram uma redução relevante nas emissões de gases do efeito estufa. Entretanto, ainda que esse setor tenha obtido resultados promissores, outros, como o de transportes e energia, especialmente, deixam a desejar, revela um levantamento do Sistema de Estimativa de Emissões de Gases de Efeito Estufa (Seeg), do Observatório do Clima. De 1990 a 2013, emissões totais praticamente dobraram e, de 1970 até dois anos atrás, quadruplicaram.

;O setor de energia é mais alarmante, o que mostra que o Brasil, em Paris, deve assumir metas para reduzir isso também;, diz André Nahur, coordenador do Programa de Mudanças Climáticas e Energia do World Wide Fund for Nature (WWF). Para ele, existe falta de coerência nas políticas do governo, que luta para reduzir o desmatamento, mas fomenta a construção de hidrelétricas no Amazonas, responsáveis por derrubada de árvores e deslocamento populacional.

Há, ainda, incentivo à compra de carros e pouco investimento em transportes e energias limpas. ;Mesmo caindo as emissões de GEE por desmatamento, as oriundas do setor de energia continuarão crescendo. Precisamos de coerência, e uma política ampla e sustentável de redução de emissões;, confirma.

Um dos temas ainda pouco discutidos pelo governo, segundo o especialista, é a adoção e investimento em tecnologias de baixo carbono, como energia de biomassa, solar e a eólica. Esta última é comprovadamente promissora: o país bateu recorde na produção diária de energia desse tipo em um dia ; 20 de julho ;, quando foram produzidos 2.989,2 megawatts médios, o suficiente para atender 13 milhões de pessoas.

;Temos grandes problemas com a disponibilidade hídrica, e as hidrelétricas custam muito caro. Existe a possibilidade de desenvolver tecnologia de baixo carbono garantindo às pessoas seus direitos básicos, que é alimento, água e energia. A energia solar, por exemplo, é uma das que poderia gerar muito emprego. As decisões tomadas hoje refletirão no futuro próximo, daqui a 30 anos, e distante, daqui a um século. O melhor momento para pensar em sustentabilidade é agora;, garante Nahur. (IO)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação