Perdão? Nem com a vitória

Perdão? Nem com a vitória

Depois de quatro jogos sem marcar, Fla goleia o Goiás, mas ouve cobrança de torcidas organizadas

postado em 09/11/2015 00:00
 (foto: Ide Gomes/Frame/Agência O Globo)
(foto: Ide Gomes/Frame/Agência O Globo)

O árbitro nem havia dado o início de Flamengo x Goiás e as vaias já ecoavam no Maracanã. Os protestos, puxados pelas organizadas, começaram assim que os nomes de Pará e Alan Patrick ; reintegrados nesta semana, após serem afastados por causa de uma festa ;, foram anunciados nos alto-falantes. Autor de dois gols na goleada por 4 x 1, ao menos o meia rubro-negro conseguiu a redenção.

O clube da Gávea vinha de quatro partidas sem nem sequer marcar gol, quanto mais vencer. O desencanto dos torcedores refletiu no público mais baixo do time no Nacional. Os 12.634 pagantes perdem até para quando o Fla recebeu Barra Mansa e Cabofriense no estadual. Para piorar, as torcidas organizadas mostravam que não haviam perdoado a ;farra; de Alan Patrick, Everton, Pará, Marcelo Cirino e Paulinho.

Além das vaias a cada vez que Alan Patrick e Pará tocavam na bola, uma faixa com o escrito ;indignação; estava estendida na arquibancada. Apesar disso, a boa atuação da dupla foi conquistando os presentes. Primeiro, foi a vez de Alan Patrick, que fez bela tabela com Gabriel, driblou o marcador e chutou rasteiro no canto de Paulo Henrique, abrindo o placar aos 18 minutos. Kayke fez questão de chamar os jogadores para comemorarem junto do autor do gol, que não segurou as lágrimas.

O mandante cresceu na partida e teve duas excelentes chances com Emerson Sheik e Jorge. Irredutível, a organizada não deu o braço a torcer e seguiu pegando no pé dos jogadores, cobrando até o lateral-esquerdo. Contudo, o restante do público sinalizava o perdão ao ;malfeito;. No último minuto, porém, o Goiás reagiu: Erik aproveitou um lapso da defesa após cobrança de falta e, livre, completou para empatar.

No intervalo, gritos de apoio e protesto se alternavam. De um lado, se ouvia ;Mengo;; do outro, ;time sem-vergonha;. O rubro-negro retornou decidido. Logo no início, Alan Patrick marcou pela segunda vez, após aproveitar rebote do goleiro em jogada iniciada pelo lateral Pará. À frente, a equipe desencantou. Aos cinco minutos, Jorge lançou Kayke, que, cara a cara com o goleiro, fez o terceiro.

O atacante balançaria as redes outra vez. Mas, como a história do jogo parecia colocar Alan Patrick como protagonista, foi dele o belo cruzamento que achou Kayke livre para fechar a goleada e fazer, de vez, as pazes com a torcida ; ao menos parte dela. Substituído ao fim da partida, Alan Patrick saiu sob aplausos da maioria. Já as organizadas não recuaram nem diante do placar elástico. A cada gol, soltavam gritos de ;não faz mais que obrigação;.




FLAMENGO 4

Paulo Victor; Pará, César Martins, Wallace e Jorge; Márcio Araújo, Jajá (Jonas) e Alan Patrick (Canteros); Gabriel (Everton), Emerson Sheik e Kayke
Técnico: Oswaldo Oliveira

GOIÁS 1
Paulo Henrique; Clayton Sales, Felipe, Fred, Diogo; Rodrigo, Felipe Menezes (Arthur), David (Ruan); Erik (Murilo Henrique), Zé Love e Bruno Henrique
Técnico: Danny Sergio

Gols: Alan Patrick (2) e Kayke (2); Erik
Cartão amarelo: Wallace
Público: 12.634 pagantes
Renda: R$ 513.918
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação