Folclore brasileiro em quadrinhos

Folclore brasileiro em quadrinhos

» Adriana Izel
postado em 17/02/2016 00:00
 (foto: 

 Ikarow/Divulgação)
(foto: Ikarow/Divulgação)



Após 20 anos longe dos quadrinhos, o analista de projetos Eron Costa, mais conhecido no meio pelo pseudônimo Ikarow, retornou ao formato com a HQ Rio Negro, lançada em novembro do ano passado em formatos on-line, com veiculação pelas redes sociais e pelo serviço de streaming Social Comics. A obra de terror tem inspiração na região da Floresta Amazônica e também dos seres da mitologia brasileira, como Cuca e Curupira. ;Acho que o primeiro contato de todo brasileiro com o gênero de terror se dá ainda no berço, quando os pais cantam a cantiga ;Nana neném, que a Cuca vai pegar;. Unir folclore brasileiro e terror não foi nada difícil. Nosso folclore é riquíssimo de personagens aterrorizantes;, explica o autor ao Correio.

O quadrinho Rio Negro, que leva o nome do maior afluente do Rio Amazonas, mostra o jovem pesquisador Elton Zuannon e a fotógrafa Margot Walker embarcando em uma viagem em direção a regiões remotas do Rio Negro após terem recebido informações que podem revelar o hábitat de um peixe misterioso. A escolha por abordar o Norte do país e não o Cerrado, sua região natal, é justificada por Eron Costa pelo fato de que a Floresta Amazônica ainda tem muitos mistérios e segredos. ;Lar do Saci, do Curupira; do Mapinguari e de uma infinidade de lendas assustadoras. É uma região onde os moradores são testemunhas ainda hoje de aparições arrepiantes e sobrenaturais;, afirma.

No entanto, o autor e ilustrador explica que não esqueceu Brasília, representada na HQ pela personagem principal, Margot. ;Eu adoraria desenvolver um projeto de suspense e terror na capital do país, que, apesar de nova, já tem seus mistérios. Desde o relato de aparecimento de lobisomens em Taguatinga até as lendas sobre o desaparecimento de trabalhadores na época de sua construção. Quem sabe esse projeto também pode se tornar realidade?;, indaga Ikarow.

Atualmente disponível apenas em versão digital, a HQ Rio Negro é disponibilizada por episódios de cinco páginas mensalmente. Eron Costa pensa em fazer uma campanha de financiamento coletivo na internet para arrecadar fundos para a versão imprensa. Mas, antes, quer adiantar o roteiro da história em quadrinhos, já que ele é responsável por roteiro, ilustração e arte final. ;O objetivo agora é levantar apoiadores antes do projeto de financiamento coletivo, que será lançado neste semestre. O fato é que muita gente tem pedido a versão em papel. Acho que quadrinhos, assim como livros, funcionam melhor na versão física;, completa.

Rio Negro já teve repercussão por vários estados brasileiros e chegou até à Hungria. O autor da HQ destaca a importância da internet nessa veiculação. ;Sem divulgação, nenhum artista consegue sobreviver. Rio Negro é um quadrinho de terror e tem um público específico. A internet permite alcançar o público;, analisa.

Rio Negro
De Ikarow. Disponível no Facebook (/rionegrohq) e no serviço de streaming Social Comics.


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação