As feras do saxofone

As feras do saxofone

Dois grupos brasilienses, de repertório popular e erudito, liderados por Ademir Júnior, estão na França para uma série de shows

Irlam Rocha Lima
postado em 02/03/2016 00:00
 (foto: Ivan Gomes/Divulgação)
(foto: Ivan Gomes/Divulgação)




A música de Brasília tem se destacado nacional e internacionalmente, entre outros aspectos, por revelar grandes instrumentistas. Violonistas, guitarristas e bandolinistas brilham intensamente nos palcos da cidade e mesmo quando vão além dos limites do Distrito Federal.

Mas a capital possui, também, uma legião de notáveis saxofonistas, tanto na área popular quanto na erudita. Quase todos possuem formação acadêmica e competência comprovada nos grupos dos quais fazem parte ; sejam quartetos de jazz, bandas de pop rock ou sejam orquestras sinfônicas.

Um dos maiores destaques nesse segmento é Ademir Júnior, requisitado por estrelas da MPB como Hermeto Pascoal, João Donato, Guinga, Hamilton de Holanda, João Bosco, Elza Soares e Rosa Passos. Ele é também maestro da Orquestra JK (uma autêntica big band), arranjador da Banda do Corpo de Bombeiros, líder de um quarteto de jazz, idealizador da disciplina de improvisação no Curso Internacional de Verão da Escola de Música e tem três discos solos lançados.

Ademir está agora à frente de um projeto no exterior: o Brasil do Saxofone, que na última segunda-feira levou para a França dois grupos ; um popular e um erudito. As duas formações vão mostrar para os europeus a sonoridade do sax desenvolvida em Brasília, numa série de apresentações entre hoje o próximo dia 12.

;Vamos mostrar nosso trabalho em três cidades francesas, sempre dando ênfase à obra de compositores brasileiros;, destaca o saxofonista brasiliense, com 30 anos de sopro ; ele iniciou a carreira com 10 anos de idade. ;Vamos iniciar a rápida turnê por Nantes. Depois, faremos cinco apresentações em Paris e depois seguiremos para Rouen.;

Brasilidades
No Ademir Júnior Quarteto, Ademir tem a companhia de Marcelo Corrêa (piano), Daniel Castro (baixo) e Pedro Almeida (bateria). O repertório que o grupo vai tocar na França é formado por temas compostos pelo saxofonista, entre os quais Brasilidades, Free-bop, Brasília e Xote candango.

Já o Quarteto de Sax Erudito, que conta com Carlos Gontijo (sax soprano), Yuri Dantas (sax alto), Carlos Cardenas (sax tenor) e Marcos Silva (sax barítono), vai mostrar na série de apresentações um programa que inclui Quarteto n; 1 (Dança da cidade), O ovo (Hermeto Pascoal), Mobile (Ronaldo Mirnda), Pedacinhos do céu (Waldir Azevedo), João e Maria ( Chico Buarque) e Suite Nordestina (Maestro Duda).

;Esta rápida turnê pela França foi possível pelo apoio que recebemos do Ministério da Cultura, Embaixada da França, Celmer (fábrica de saxofone francesa) e Vandoren (fábrica de instrumentos e acessórios, também da França);, diz Ademir. ;Na volta ao Brasil, o quarteto que leva o meu nome faz shows no dia 16, na Casa Thomas Jefferson, com a participação do saxofonista francês Baptiste Herbin; e de 23 a 25 no Clube do Choro;, adianta.

Do currículo de Ademir Júnior constam apresentações em 19 países, de diferentes continentes. ;Já toquei em Cuba, México, Jamaica, Panamá, Alemanha, Suíça, Espanha, Marrocos, Dubai e em todos os países do Mercosul. Ao todo, foram 72 shows, sendo alguns com o grupo de samba Só pra Contrariar;, contabiliza.

Mesmo tendo como foco principal em seu trabalho a música brasileira, de Tom Jobim, João Donato, Hermeto Pascoal, Guinga e Roberto Menescal, Ademir faz questão de deixar clara sua admiração por mestres do jazz, entre eles Thelonious Monk, John Coltrane, Billy Strayhorn e Wayne Shorter, os quais tem como referência.



;Vamos iniciar a rápida turnê por Nantes. Depois, faremos cinco apresentações em Paris e depois seguiremos para Rouen;
Ademir Júnior, instrumentista e idealizador do projeto Saxofone Brasil



19
Quantidade de países em que o saxofonista Ademir Júnior se apresentou


72
Quantidade de shows que o saxofonista Ademir Júnior fez fora do Brasil

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação