Máscaras e rebolado

Máscaras e rebolado

postado em 27/02/2017 00:00
 (foto: Rovena Rosa/Agencia Brasil)
(foto: Rovena Rosa/Agencia Brasil)

Vários bloquinhos lotaram as ruas de São Paulo, outrora conhecida como túmulo do samba. Um dos fundadores do Bloco Bastardo, que atrai em média 10 mil foliões, Pedro Gonçalves participa da festa de rua desde 2001. De 2008 a 2013, fez parte da gestão de outro bloco conhecido na cena paulistana, o Vai Quem Quer. ;Na época em que a gente começou a fazer o Vai Quem Quer, não havia quase nada de carnaval de rua em São Paulo;, lembra.

Outro grupo que fez bastante sucesso ontem foi o Domingo Ela Não Vai, animado pela cantora Gretchen, a rainha do rebolado no fim da década de 1970. Gretchen deixou o Hotel Marabá, onde estava hospedada, escoltada por seguranças, e enfrentou a multidão para chegar até o trio. Lá, dividiu o palco com a musa do bloco, Candy Mel, vocalista da Banda Uó.
Candy Mel disse estar ;bem feliz; com o número de pessoas que participaram do desfile. ;Ano passado, tiveram umas 30 mil pessoas. o evento do Facebook deste ano, já tinham 50 mil pessoas confirmadas.


Mas a gente não tinha ideia de quem iria vir.;

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação