Moradores reclamam do barulho nas quadras

Moradores reclamam do barulho nas quadras

» Azelma Rodrigues - Especial para o Correio
postado em 27/02/2017 00:00
 (foto: Bruno Peres/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Bruno Peres/Esp. CB/D.A Press)




A presença de blocos carnavalescos nas quadras e entrequadras de Brasília tem causado descontentamento de alguns moradores. ;Incomoda. Incomoda muito;, reclamava Graça Santos, 66 anos, funcionária pública aposentada, há 40 anos moradora do Bloco J da 313 Sul, que foi surpreendida pelo barulho do Agoniza, mas não Morre, na comercial da 312/313 Sul. ;Ninguém é contra, mas que façam carnaval em áreas apropriadas, porque aqui tem muita gente de idade avançada;, reclamava Vanildo Souza, do bloco G da 312, bem próximo ao bloco K onde moram ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Diretor do Agoniza, Marcos Osório, analista de sistema, 32 anos, diz que a escolha da entrequadra foi aleatória. ;Achamos que aqui atrapalhava menos;, conta. A agremiação tem só quatro anos e já fez folia nas comerciais das 209/210 e 407/408 Sul. Com autorização da Secretaria de Cultura, Osório diz que ;todos os síndicos; das quadras vizinhas foram notificados sobre a folia. ;Fiquei sabendo pela tevê;, rebateu Wanize Félix, 62, aposentada e síndica do Bloco B da 312, que nem por isso desgostou do que viu e ouviu. Ao contrário, ela criticava os ;reclamões;, que, segundo ela, estão concentrados em três prédios, onde a população idosa é maioria.

;É de uma burrice desumana;, afirmava Everardo Maciel, 70, funcionário público aposentado e ex-secretário da Receita Federal, morador do Bloco F. ;Estão rasgando dinheiro para incomodar o povo e satisfazer a alguns sanguessugas, numa época de crise, enquanto o Teatro Nacional e outros monumentos da cidade estão abandonados;, criticou. Assim como Maciel, Graça Santos também defende que o GDF deveria consultar a comunidade. ;Eu gostaria muito de ser consultada. Aqui, têm idosos que estão doentes e ainda precisam passar por isso.;

Outros moradores disseram não ver problema no fato de ter carnaval praticamente à porta. Como Mohamed Khodel, aposentado de 94 anos, morador do Bloco I da 312, onde a síndica chamou seguranças extras para evitar ;confusão; no prédio. Enquanto isso, Gracielle da Silva e um grupo de cinco amigos vieram de Formosa, no Entorno, para aproveitar a folia do Agoniza.

A Secretaria de Cultura informou que ;tem feito um diálogo intenso; com representantes comunitários. ;Os órgãos do governo estão se apoiando no bom senso para a aplicação da legislação, de modo a buscar conciliação e soluções pacíficas;, diz a nota do GDF.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação