Delegado afastado em Pernambuco

Delegado afastado em Pernambuco

postado em 19/03/2018 00:00
O delegado da Polícia Civil de Pernambuco Jorge Ferreira foi afastado dos plantões na Delegacia da Mulher, acusado de publicar no Facebook comentários maldosos sobre a vereadora Marielle Franco. Em seu perfil, apareceu a seguinte mensagem: ;Se envolve com o narcotráfico, vira mulher de bandido, troca de facção criminosa, é assassinada pelos ;mano;, aí vem a esquerda patética colocar a culpa nas instituições policiais. Vá se fu, dona Marielle. Já foi tarde. Detesto bandido e quem os defende odeio mais ainda.;

Imediatamente, a Secretaria de Defesa Social (SDS) do estado, em nota oficial, no final da manhã, informou o afastamento do delegado Jorge Ferreira do plantão da Delegacia da Mulher de Santo Amaro, Pernambuco, alegando que o teor das afirmações é incompatível com a filosofia do governo. ;Até a conclusão do procedimento administrativo, o servidor ficará à disposição do setor de recursos humanos da PCPE;, diz o texto.

Em vídeo de dez minutos, o delegado garantiu não ser o autor da postagem. ;Fui informado por um amigo sobre a publicação. Quando eu saí da rede social, eu vi que tinham vários aparelhos logados na minha conta e eu nem sabia. Tinha inclusive um no Crato, mas eu nunca estive lá. Eu saí imediatamente de todos, mas não sei como postaram isso;, disse. Segundo ele, suas posições políticas são claras. Ele defende a ideia de que, antes de acusar alguém ou alguma instituição, que se apure os fatos. ;Mal aconteceu o homicídio e já se começou a acusar a Polícia Militar. Eu defendo que não, que seria interessante antes ver todas as possibilidades;, argumentou.

Outras iniciativas tentam manchar a imagem da vereadora recentemente assassinada. Na sexta-feira, a desembargadora Marilia Castro Neves, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), acusou Marielle, que havia denunciado abuso de autoridade de policiais militares, de estar ;engajada com bandidos;. Ela publicou no Facebook: ;Conheçam o novo mito da esquerda, Marielle Franco. Engravidou aos 16 anos, ex-esposa do Marcinho VP, usuária de maconha, defensora de facção rival e eleita pelo Comando Vermelho, exonerou recentemente 6 funcionários, mas quem a matou foi a PM;. Criticada, apagou a postagem. A acusadora de Marielle, em novembro do ano passado, recebeu salário de R$ 74.790.

Questionada, a desembargadora afirmou que nem sequer tinha ouvido falar de Marielle Franco até o dia de sua morte. ;Eu postei as informações que li no texto de uma amiga;, afirmou. O PSol, partido ao qual a vereadora era filiada, vai entrar com uma representação oficial no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e com uma ação criminal por calúnia e difamação contra a desembargadora do TJRJ. A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no Rio também está colhendo informações sobre as postagens da desembargadora para se manifestar oficialmente.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação