Início de rebelião é controlado

Início de rebelião é controlado

Quatro presos foram reencaminhados às celas depois de terem tentativa de fuga frustrada. Parentes alegam que detentos estão sem receber refeições desde a noite de sexta-feira. Direção da unidade nega e afirma que estoque está abastecido

» OTÁVIO AUGUSTO
postado em 27/05/2018 00:00
 (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press - 12/1/17)
(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press - 12/1/17)


Um princípio de rebelião agitou o Presídio de Novo Gama, localizado no município de mesmo nome (GO), a 43km de Brasília. Quatro presos tentaram fugir da cadeia ontem. Familiares de detentos alegam que a confusão começou devido à falta de alimentos. A direção da prisão nega que os presos estejam sem receber as refeições. A situação só foi controlada com a chegada da Polícia Militar.

Por medo de represália, a mãe de um detento, que pediu para não ser identificada, contou que houve disparos dentro do presídio. Ela acompanhou a confusão desde o iniício. ;Ninguém fala nada. Só escutamos eles gritando que estão sem comer há dois dias. Tentamos falar com a direção, mas não explicaram o que estava havendo;, relatou.

Outra mulher, que tem o marido encarcerado, disse que presos foram transferidos de ambulância. ;Eles estão sem comer desde sexta-feira. Não teve jantar aquele dia (sexta) e hoje (ontem) não serviram o almoço. As famílias deveriam ser avisadas para trazer comida. A situação é insustentável;, reclamou.

Recapturados

Policiais Militares do 19; Batalhão de Novo Gama acompanharam a ocorrência. Os quatro detentos que tentaram fugir do presídio foram recapturados. Agentes prisionais contiveram os presos. O Grupo de Patrulhamento Tático (GPT) de Novo Gama também foi para o local.

Por telefone, a direção da Cadeia Pública de Novo Gama informou ao Correio que não houve rebelião, mas sim, uma tentativa de fuga frustrada. ;Há receio, por parte dos presos, de que a empresa que faz o fornecimento das marmitas não consiga manter o abastecimento se o estoque de comida não chegar;, disse um funcionário.

Ele negou que os presos estão sem comida. ;Não há, neste momento, razão para preocupação. O estoque está abastecido e não houve a suspensão de nenhuma refeição;, garantiu.

A Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) de Goiás informou, em nota, que agentes de plantão evitaram a fuga dos detentos quando eles já estavam na cozinha, próximo ao muro do presídio. ;Durante o banho de sol, eles empreenderam fuga pela laje E, e tentavam pular o muro para acessar a parte externa da unidade;, destaca a nota.

Após reconduzir os presos para a cela, os agentes acionaram a direção da cadeia que, com a participação da escolta da unidade, dos demais agentes e também do Grupo de Intervenções Táticas (GIT) concluíram a recontagem. ;Não houve fuga;, conclui o texto.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação