Bolsonaro deve trocar Dodge

Bolsonaro deve trocar Dodge

» Renato Souza
postado em 18/10/2018 00:00


Declarações recentes do candidato Jair Bolsonaro têm levantado o alerta no Ministério Público Federal (MPF). O deputado sinalizou que, caso seja eleito presidente, não vai reconduzir ao cargo a atual procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Nos bastidores, procuradores se movimentam para tentar garantir que ele siga a lista tríplice, votada pela categoria, que recomenda nomes para o posto mais importante do MPF. O mandato de Dodge termina em setembro do próximo ano.

Pela legislação, o procurador-geral da República fica no cargo por dois anos, mas pode ser reconduzido por um novo período, a critério do presidente da República. Em abril deste ano, Dodge denunciou Bolsonaro pela prática de racismo, devido a um discurso ofensivo contra quilombolas feito pelo deputado durante palestra no Clube Hebraica, no Rio de Janeiro. Ao levar o caso ao Supremo, a procuradora afirmou que ;Jair Bolsonaro tratou com total menosprezo os integrantes de comunidades quilombolas. Referiu-se a eles como se fossem animais, ao utilizar a palavra arroba;, disse.

Esravidão

Na peça, Dodge associou a fala do parlamentar ao período da escravidão, no qual negros eram vendidos em praça pública como se fossem produtos do comércio. ;Esta manifestação, inaceitável, alinha-se ao regime da escravidão, em que negros eram tratados como mera mercadoria, e à ideia de desigualdade entre seres humanos, o que é absolutamente refutado pela Constituição brasileira e por todos os tratados e convenções internacionais de que o Brasil é signatário, que afirmam a igualdade entre seres humanos como direito humano universal e protegido;, afirmou a procuradora.Tradicionalmente, antes do fim do mandato de um procurador-geral, a Associação Nacional de Procuradores da República (ANPR) realiza uma votação, que envolve cerca de 1.300 procuradores, para indicar três nomes ao cargo. O chefe do Executivo escolhe um deles. O temor, dentro da PGR, é que Bolsonaro não escolha nenhum dos nomes apontados na lista. O candidato já afirmou, que se eleito, pretende nomear alguém que ;respeite a imunidade parlamentar; e que não tenha sido ;uma ativista por questões nacionais;. Raquel Dodge é conhecida por sua biografia ligada à proteção dos direitos humanos.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação