Natal felino

Natal felino

Não consegue montar a árvore porque o seu gato sempre a destrói? Especialistas e tutores dão dicas para você não ficar sem decorações neste fim de ano

Por Raphaele Caixeta Especial para o Correio
postado em 09/12/2018 00:00
 (foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
Gatos são pets que ainda mantêm o espírito selvagem. E, mesmo após séculos de domesticação, não se curvam às vontades humanas. Evidência disso é que pouco se sabe ainda sobre adestramento felino. Mas os ;gateiros; ; como se autodenominam os criadores e apaixonados pelos bichanos ; não se deixam abalar pelo comportamento independente e garantem que suprir as necessidades deles é suficiente para uma convivência pacífica.

E a chegada de dezembro quase sempre é uma prova de fogo para os donos de gato. O fim de ano traz consigo a decoração natalina ; sempre exuberante e uma tentação para os felinos. Em uma busca rápida pela internet, as queixas se repetem: ;Tenho gatos há sete anos, e há setes anos não tenho decoração de Natal;, desabafam alguns internautas nas redes sociais.

Então, para os gateiros, será mais um ano sem mergulhar no clima natalino? Não para o casal Paula Félix, 45 anos, e Lucas Duty, 32. A bióloga, que cria o gato gigante Minsk, da raça mainee coon, há 10 anos, garante que não tem grandes problemas com o felino, mesmo nesta época do ano.

;O Minsk sempre teve muitos estímulos, como arranhador, brinquedos que se movem e fazem barulho, nosso cachorro... Nós mesmos o estimulamos;, enumera a bióloga. Ela garante que sempre se preocupou em atender às necessidades cognitivas do gato, o que faz com que o animal perca o interesse pela decoração da casa naturalmente.

Já o companheiro de Paula, Lucas Duty, especialista em comportamento animal, convive com o bichano há cinco anos, e pondera: ;Minsk já tem 10 anos, é um gato idoso. É diferente de um mais novo, que precisa mesmo de estímulo e é mais desordeiro;.



A psicologia dos gatos

Para Juliana Damasceno, doutora em psicobiologia e especialista em comportamento e bem-estar de felinos, o ambiente em que os gatos são criados, geralmente, é extremamente monótono. E, quando se lota a casa de novidades tão atrativas, como a decoração natalina, a interação se torna irresistível para eles.

;A árvore de Natal é um dos melhores enriquecimentos ambientais para um felino, porque ele pode escalar, e o gato é naturalmente semiarborícola. Além disso, eles são neofílicos ; interessam-se pelo que é novidade;, explica a bióloga.

Isso significa que os gatos precisam que o tutor os estimulem e os incentivem cognitivamente sempre. ;Eles precisam de estímulos que simulem a caça. E tudo na decoração de Natal se parece muito com um brinquedo de gato. Que tal usar parte da decoração para fazer brinquedos para o bichinho?;, orienta a especialista.

A bancária Andrea Pena, 36, atualmente é ;mãe; de três felinos. E Mia, 4, Mel, 2 anos e 6 meses, e Snow, 1 ano e 6 meses, são apenas a confirmação do amor que perdura há quase quatro décadas. Acostumada a criar gatos durante toda a vida, a bancária é um poço de sabedoria felina.

Talvez Andrea não saiba que a curiosidade dos bichanos leve um nome tão pomposo, mas foi exatamente na tal da ;neofilia felina; que ela descobriu o ponto fraco do gato. ;Primeiro, eu monto apenas a árvore e espero até que eles esqueçam. Depois de muitos saltos e derrubadas, eles começam a ignorar. Então, eu coloco alguns enfeites bem presos, mas sem nada que quebre, como bolas de vidro. Dou um intervalo de mais três a cinco dias, até eles ignorem novamente. Só então eu termino a montagem da árvore;, ensina a bancária.

Andrea acredita que os gatos dela enjoam fácil da decoração porque têm muitos estímulos, sempre estão cheios de brinquedos. ;Agora, se o seu gato não tem distração nenhuma nunca, ele não vai desgrudar da árvore de Natal;, alerta.



Alerta vermelho

Se a única preocupação fosse deixar a árvore de pé para a ceia de Natal, estava tudo certo. Mas há um outro fator imprescindível a levar em consideração: a segurança física dos gatos. É importante lembrar que toda a suntuosidade da festividade natalina vem carregada de diversos perigos para os bichos.
A Especialista em medicina felina Giovana

Mazzotti aponta um dado alarmante: no fim do ano, os casos de gatos que chegam à emergência com laceração no intestino, causada por um corpo estranho, dobram em relação ao resto do ano. Ela atribui o aumento à ingestão de decorações natalinas.

A veterinária pede cuidado com as tradicionais decorações, além de sugerir que os donos substituam o material para evitar acidentes graves e até fatais. ;Dependendo do tamanho da árvore, o gato pode escalar e ser esmagado por ela, caso caia. Outros objetos que representam muito perigo são as bolas de vidro ou materiais cortantes. Se ele mastigar uma bola quebrada ou até mesmo um pedaço da árvore, pode acabar engolindo e perfurando o intestino;, alerta.

O pisca-pisca é outro item da decoração praticamente proibido para quem tem gatos, por conta do risco de choque elétrico e de corte com as lâmpadas. Então, a não ser que esteja em local não alcançável ou revestido por alguma proteção resistente, evite. Os festões (cordões felpudos decorativos) também devem ser excluídos definitivamente, o volume e cor chamam a atenção e os gatos podem ingerir, o material é cortante e tóxico.

Escaladores
Arborícola são animais que passam a maior parte da vida em árvores, como aves e macacos. Os felinos são semi, ou seja, é natural que escalem as árvores de Natal.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação