Dieta

Dieta

Humberto Rezende
postado em 09/03/2019 00:00
Então... Estou de dieta. A 238; da minha vida. E escrevo sobre isso hoje porque, quando estou de regime, todo o resto perde importância e só consigo pensar nele, o regime. Ou reeducação alimentar, como insistem os nutricionistas, aparentemente, só para fazer com que eu me sinta, além de gordo, burro, dada minha incapacidade de aprender. Afinal, cá estou eu, fazendo a mesma aula pela 238; vez.

Mas, apesar de não ser muito aplicado, sou um aluno insistente. Fui a uma nova professora, digo, nutricionista, e pedi: ;Me ensine a ser magro.; Ela começou como as outras professoras, digo, nutricionistas, e fez um tanto de perguntas. Depois, sacou a impiedosa fita métrica e me pediu, como eu esperava, para subir na cruel balança.

Aí, começaram as novidades. Desde minha última incursão ao mundo das dietas, o curso de reeducação alimentar aprimorou-se. Para pior, percebi. Agora, existe uma máquina que calcula uma tal de idade metabólica. Meu Deus! Descobri que, por esse critério, sou mais velho que minha mãe.

A outra novidade quase me fez ter um treco. Após aplicar um questionário, minha nutricionista, com a maior calma do mundo, virou para mim e disse ter convicção de que três quartos dos meus problemas (a própria obesidade, a insônia, a dermatite, a sinusite etc...) se devem à minha alergia crônica ao leite. ;É muito importante que você fique os dois próximos meses sem consumir leite e derivados;, lançou, sem se atentar que falava com um mineiro nascido em Brasília.

Imediatamente, uma lista surgiu espontaneamente em minha mente: queijo, pão de queijo, espetinho de queijo coalho, queijo com goiabada, pão com queijo derretido, pastel de queijo, cheese burger, pizza, coxinha com catupiry, lasanha, leite condensado, pão com leite condensado, pudim de leite, sorvete, leite com Toddy, doce de leite, canudinho com doce de leite, churros com doce de leite, doce de leite em cubinhos, biscoito Passatempo, vitamina de abacate, chocolate... ;Bom, pelo menos vou poder comer cachorro-quente de vez em quando;, murmurei. No que a nutricionista-carrasca respondeu, deixando clara toda sua insensibilidade: ;Salsicha tem leite.;

A cara leitora e o caro leitor podem estranhar, mas, mesmo assim, eu disse: ;OK;. E saí de lá preparado para os dois piores meses de minha vida. Afinal, preciso mudar essa curva ascendente na balança que, se prosseguir assim, me levará a uma velhice um tanto difícil. Isso se houver velhice.

Passei, então, o carnaval me despedindo dos meus amores. Na sexta-feira, devorei uma barra de chocolate branco da Lindt; no sábado, tracei duas duplas da Don Bosco no jantar; no domingo, disse adeus ao milk shake de Negresco do Tio Gu; na segunda, ao hambúrguer com cheddar do Marvin; e na terça-feira saboreei lentamente duas coxinhas da Torteria Di Lorenza. Na quarta-feira de cinzas, pós-folia gastronômica, comecei. Fiz tudo direitinho, para, na quinta-feira de manhã, ao olhar no espelho, me surpreender com o resultado: já tinha perdido 1cm do meu sorriso. Mas vamos em frente!

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação