Bolsa passa dos 101 mil

Bolsa passa dos 101 mil

» RAFAELA GONÇALVES*
postado em 22/08/2019 00:00

O mercado reagiu bem ontem ao anúncio de que o governo federal apressaria as privatizações previstas e que divulgaria uma lista com 17 empresas para desestatização. Após quatro dias de queda, o Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (B3), encerrou o dia em alta de 2%, aos 101.202 pontos, puxado, principalmente pela valorização da Petrobras, que encerrou o pregão com ganhos de 5,95%, nos papéis preferenciais (PN); e 5,32%, nos ordinários (ON).

Os ganhos da petroleira começaram cedo, mas se intensificaram a partir de uma informação do jornal Valor de que a equipe econômica pretende privatizar a companhia até o fim do mandato do presidente Jair Bolsonaro, em 2022. Havia expectativa de que o nome da companhia entrasse na lista que o governo anunciou depois do fechamento do mercado.

As ações da Eletrobras também aceleraram os ganhos com a sinalização do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de que há consenso para aprovar o projeto de lei que ressarce a estatal em R$ 3,5 bilhões. Segundo a analista da Coinvalores Sabrina Cassiano, a valorização de empresas estatais na B3 se deve à expectativa de que a promessa de enxugar o Estado se concretize. ;Embora não se saiba exatamente quais empresas vão compor a lista, todas que têm probabilidade de entrar reagiram de forma positiva;, disse.

As tentativas de o governo de reanimar a economia trouxeram o país para o protagonismo do mercado. Ontem, com o início do leilão de dólares das reservas internacionais ; o Banco Central vendeu US$ 200 milhões à vista ; a divisa dos Estados Unidos encerrou o dia em queda de 0,52%, cotada a R$ 4,03. Além da venda em dinheiro, o BC negociou também 4 mil contratos de swap cambial reverso, que funcionam como compra de dólares no mercado futuro. A oferta total era de até 11 mil papéis.

* Estagiária sob supervisão de Rozane Oliveira

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação