As paisagens linguísticas do Enem

As paisagens linguísticas do Enem

Questões de português do exame propõem passeio por diversos gêneros textuais e variações geográficas, sociais e históricas

Jairo Macedo Especial para o Correio Daniela Santos*
postado em 23/09/2019 00:00
 (foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)


A primeira etapa de aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019, em 3 de novembro, apresenta aos candidatos uma prova para lá de diversificada. As 45 questões de linguagens, códigos e suas tecnologias são norteadas pelos usos variados da linguagem e seus recursos expressivos. Por ela, passam língua portuguesa, literatura, artes, tecnologia da comunicação e informação, e língua estrangeira (inglês e espanhol). Esta edição do Especial Enem tratará, especificamente, da primeira. Mas, se esbarrar com as outras pelo caminho, não estranhe: essa área do exame exige do candidato habilidade em conectar leituras e entender as diferentes paisagens linguísticas possíveis.

O Enem 2018, por exemplo, teve de tudo em termos de forma e conteúdo: peças publicitárias, matérias jornalísticas, artigos acadêmicos, fotografia, performance, tirinhas e até emojis de WhatsApp. Os textos literários foram do clássico em Guimarães Rosa, em texto original e adaptação para os quadrinhos por Eloar Guazzelli, à poesia contemporânea de Angélica Freitas. Música, do hino nacional ao grupo Teatro Mágico. ;São vários gêneros textuais para análise e reflexão. Creio que charges e tirinhas demandem conhecimento maior do contexto e capacidade de associação com a realidade, por meio de pistas extralinguísticas, como expressões corporais das personagens;, afirma a professora Dani Ribeiro, que leciona no Autoria Cursos e como voluntária no programa Jovem de Expressão, em Ceilândia.

Mais que isso, a observância da variação linguística permeia a prova, debatendo usos regionais e sociais da língua, bem como preconceitos expressos nela. ;Sempre foi tema caro ao Enem e é uma discussão muito interessante para uma prova de abrangência nacional;, afirma a professora Cléa de Souza Maduro, dos cursos Exatas e Autoria. Ela lamenta as polêmicas em torno de textos de temática LGBT+ e negra em 2018, e, depois disso, aposta em seleção de textos mais amena para 2019. ;Desta vez, a variação linguística cobrada deve ser a diatópica, que trata das variedades entre regiões ; As falas específicas do Nordeste, do Centro-Oeste, etc. Há quem pense que uma fala tem mais valor do que outra, e cabe a todos nós entender as diferenças e os preconceitos;, diz.

;Pelo viés atual, acredito que questões mais problemáticas não apareçam tanto nos textos. Vai ter menos temas sociais como desigualdade, desmatamento e gênero;, espera Arthur Menezes, 17 anos, aluno do Sigma. Gabriel Félix, professor de redação do Curso Positivo, concorda: ;A mudança em linguagens seria para uma prova mais conteudista e prática, talvez com presença maior de conteúdo gramatical.;

Contexto
A estrutura das questões objetivas do Enem se difere dos vestibulares tradicionais, garante Neusa Nepomuceno, professora de português e redação no Sala de Redação. ;O Enem contém mais do que apenas perguntas. Ele espera que o candidato analise, interprete e aplique seus conhecimentos, contextualizando-os de acordo com o texto apresentado em cada questão. A matriz de referência avalia competências e habilidades dos estudantes;, afirma.

Cléa Maduro também enxerga particularidades no exame. ;Na hora de responder a questão, não vale pensar de maneira fragmentada, mas sob uma visão panorâmica dos assuntos e da linguagem;, diz. Para ela, o Enem espera do candidato uma linha de pensamento que, por vezes, destoa do que ele recebe em salas de aulas pelo Brasil. ;Esse tipo de preparo não é o comum. A vida escolar é pautada estritamente pelo ensino fragmentado e preparação para as provas;, lamenta.

É a partir deste norte que Matheus Lacerda, 17, tem estudado. ;Tenho lido notícias e discutido bastante com meus familiares sobre elas;, diz o aluno do Sigma. Da primeira experiência dele no exame, ele espera temas e linguagem do dia a dia. ;Você precisa ter repertório cultural e saber o que está acontecendo no Brasil, porque é uma prova que aborda temas cotidianos e atuais. Venho estudando por meio de simulado e aulas.;




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação