No Brasil, presença discreta

No Brasil, presença discreta

postado em 24/09/2019 00:00
 (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press %u2013 22/11/18)
(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press %u2013 22/11/18)


Forte nos Estados Unidos e na Europa, a WeWork tem presença discreta no Brasil. A empresa chegou ao mercado brasileiro apenas em 2017, sete anos depois de ser fundada. Na América Latina, sua estreia se deu na Cidade do México, em 2016.

Estima-se que, atualmente, 21 mil brasileiros trabalhem em escritórios da WeWork, o que corresponde a apenas 4% do total de 527 mil usuários dos espaços da empresa no mundo.

No Brasil, a WeWork tem prédios em Barueri (SP), São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, perfazendo um total de 19 edifícios. Até o primeiro trimestre de 2020, segundo projeções reveladas recentemente, o plano é inaugurar 12 edifícios em Barueri, Osasco, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo.

As dificuldades financeiras enfrentadas pela empresa podem atrapalhar seus planos de investimentos. Nesse cenário, a abertura de capital seria fundamental para a obtenção dos recursos que financiariam a sua expansão. Enquanto o IPO não sair, é provável que novas investidas no mercado brasileiro fiquem em compasso de espera.



Saiba mais

A febre dos escritórios compartilhados

Apesar das dificuldades enfrentadas pela WeWork, os espaços de trabalho compartilhados se tornaram febre no Brasil e no mundo. A tendência traz inúmeras vantagens: oportunidade de conviver com profissionais de outras áreas, diminuição de custos e inserção da empresa e do profissional em ambientes mais dinâmicos.

Segundo o Censo Coworking Brasil, realizado pelo site especializado Coworking, em 2018, havia aproximadamente 1,2 mil escritórios compartilhados no país, localizados nos 26 estados e no Distrito Federal. Nos últimos três anos, a quantidade de espaços desse tipo cresceu 500% no país, muito acima do ritmo da expansão da média mundial, que foi de 200%. Em 2018, o setor movimentou no Brasil R$ 130 milhões.

Uma das tendências do setor é a criação de escritórios temáticos, que concentram no mesmo endereço profissionais de um único segmento. Já existem em Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo espaços dedicados a empresas da área de moda, arquitetura, tecnologia e agronegócio.






Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação