Velório de Necivânia marcado para hoje

Velório de Necivânia marcado para hoje

» MARIANA MACHADO
postado em 16/11/2019 00:00
 (foto: Reprodução/Facebook)
(foto: Reprodução/Facebook)

Amigos e familiares se despedirão de Necivânia Eugênio de Caldas, 37 anos, na manhã de hoje. A estudante do curso técnico de enfermagem é a 29; vítima de feminicídio no Distrito Federal em 2019. Ela foi assassinada a facadas por volta das 13h30 de quinta-feira, em Santa Maria. O filho dela, um menino de 8 anos, testemunhou toda a ação. O velório está marcado para as 9h, na Capela 3 do Cemitério do Gama.

Ontem, o suspeito do assassinato, Francisco Dias Borges, 34, foi levado da 20; Delegacia de Polícia (Gama), onde estava detido, para a carceragem da Polícia Civil. Vítima e assassino ficaram casados por oito anos, mas, cansada da rotina de agressões, Necivânia terminou o relacionamento há uma semana, quando se mudou para a casa do pai. Desde então, passou a receber diversas ameaças, como a família relatou ao Correio.

No dia do crime, a estudante foi surpreendida pelo ex-marido no momento em que voltava para casa de moto, com o filho na garupa. Ele a derrubou do veículo e a esfaqueou. O garoto correu para casa, pedindo socorro. Quando o irmão da vítima, Adailton Eugênio de Caldas, 40, chegou para ajudá-la, ele também foi atingido. A mulher de Adailton afirmou que ele está melhor, apesar do ferimento, e que estará no velório da irmã. Necivânia deixou quatro filhos: uma menina e três meninos.

;Cenário anormal;
O balanço da Secretaria de Segurança Pública para o mês de outubro mostrou o menor índice de homicídios dos últimos 20 anos. Apesar da queda, os casos de feminicídio chegaram ao patamar mais alto desde 2015, quando se criou a qualificadora desse tipo de crime. De acordo com o secretário Anderson Torres, os resultados de queda no número de assassinatos são significativos diante do aumento da população e do ;decréscimo consistente no efetivo das forças (de segurança);.

O chefe da pasta, no entanto, lamentou os assassinatos de quinta e sexta-feira e considerou o cenário ;anormal para o DF;. ;Posso garantir que esses casos serão minuciosamente estudados para que não só sejam elucidados, mas que também possamos produzir subsídios que levem à identificação e à prisão dos culpados. A população pode estar segura de que seguiremos com o nosso trabalho diário em prol da redução de todos os índices de criminalidade e do aumento da sensação de segurança no DF;, afirmou. (JE)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação