Inundação e susto em Vicente Pires

Inundação e susto em Vicente Pires

RAYSSA BRITO* THAIS UMBELINO*
postado em 26/11/2019 00:00
 (foto: Thais Umbelino/Esp. CB/D.A Press
)
(foto: Thais Umbelino/Esp. CB/D.A Press )

;Quando eu vi, a lama já estava entrando na casa.; Assim Val Paiva, 42 anos, resumiu o momento de pânico que viveu ontem, ao lado do filho, de 5, durante a forte chuva que atingiu Vicente Pires. O temporal começou ao meio-dia e inundou a residência dela, na Rua 3. Desesperada, Val enviou um áudio em um grupo de WhatsApp da Administração Regional de Vicente Pires pedindo socorro. Em seguida, começou a gritar para os vizinhos ajudarem-na enquanto esperava a Defesa Civil. ;Eu imaginava que a chuva deixaria estragos, mas não nessa proporção;, contou.

Adriana Rodrigues, 42, tomou susto parecido. ;Foi questão de minutos. Nunca tinha acontecido isso. A lama desceu muito rápido e entrou na casa. Os ralos entupiram e começaram a borbulhar;, descreveu. ;O condomínio resolveu fazer um muro de contenção, só que ele foi quebrado para colocar manilhas. Acho que a chuva foi tão forte que quebrou a barreira. Ela veio com lama e tudo para cá. É um morro de terra fofa;, afirmou. ;Eu não quero passar por isso nunca mais na minha vida, porque é desesperador. A gente vê a água entrando e não pode fazer nada.;

Segundo a Administração Regional de Vicente Pires, a chuva de ontem atingiu com mais força as ruas 3 e 8, que estão com obras em andamento e não têm asfalto. Até o momento, equipes do órgão espalham cascalho e brita para facilitar o tráfego. ;Em 10 dias, a administração começará a preparar o local para asfaltá-las;, ressaltou Daniel de Castro, administrador da cidade. O órgão espera que o volume de água diminua com a rede de drenagem.

A pedagoga Marinalva Silva, 50, não esperava que a chuva fizesse tanto estrago na Rua 3, onde mora. ;Foram 20 minutos, mas hoje (ontem), sem dúvida, foi o pior dia. Assim que eu vi o tanto de água, comecei a empurrar, desesperada. Graças a Deus, eu estava em casa;, disse. Marinalva não vê a hora de a obra em Vicente Pires ser concluída. ;O carro desliza, atola, fica preso, e a casa alaga. Está difícil;, observou.

*Estagiárias sob supervisão de Guilherme Goulart


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação