Garoto morre após ataque de seis cães

Garoto morre após ataque de seis cães

postado em 26/12/2019 00:00

Um menino de 10 anos morreu ontem após ser atacado por seis cães em São Paulo. Dois animais foram sacrificados durante o resgate da criança, na Zona Sul paulista. Um rapaz de 20 anos que interveio ficou ferido e está hospitalizado. Testemunhas disseram que o menino Luiz Fernando Teixeira foi perseguido e mordido ao entrar em um terreno cercado por muros para resgatar uma pipa.

Os cachorros, das raças pitbull e rotweiller, protegiam o local.Um helicóptero da Polícia Militar foi mobilizado para socorrer o menino, mas a criança chegou morta ao hospital em decorrência dos ferimentos. ;A criança estava sozinha no momento do ataque. Um jovem tentou interferir, mas foi mordido na perna e lavado ao hospital;, disse à imprensa o capitão da PM José Ferreira Jr.

Uma viatura da corporação esteve no local ao ser informada da situação. Soldados chegaram a atirar nos animais, causando a morte de dois. Mãe do garoto, a doméstica Rita de Cássia Teixeira dos Santos, 50, contou que viajaria com o filho para ver os fogos em Copacabana. ;Sábado iria para o Rio de Janeiro. Estou com a mala arrumada, tudo pronto, mas agora acabou. Não tem mais viagem. Só meu filho que viajou sem mim;, disse. Rita teve cinco filhos e, além de Luiz, perdeu outro, quando o rapaz tinha 24 anos, por causa de um mal súbito. Restaram três mulheres.

Cunhado do garoto, o segurança Maurício Desidério Arcanjo, 42, disse que todos foram pegos de surpresa. ;Estávamos numa reunião de família na Zona Leste e ela (Rita) ligou para a minha mulher e disse ;seu irmão morreu;. E a gente ;como assim, ele morreu;, mas ela não conseguia falar;, disse. ;Não conheço o local, mas como uma criança de 10 anos iria pular um muro desses? Só se estivesse aberto em algum lugar e, se for isso, acho muito errado. É um terreno baldio, não tem nada para ser roubado, então, qual a necessidade de ter cachorros como esses;, disse o cunhado do menino.

O segurança disse que Luiz Fernando era como qualquer criança de sua idade. ;Por viver em apartamento, ele saía pouco. Mas quando tinha oportunidade, ele gostava de brincar.;No Rio de Janeiro, em outro ataque de pitbull a criança, foi possível evitar uma tragédia. Patrick do Céu, 20, salvou um menino de cinco anos do ataque do cão em frente à casa onde mora, na Rua Jurubeba.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação