Noite sem graça

Cruzeiro fica só no empate

Cruzeiro sofre com a marcação da Caldense, finaliza pouco e fica no 0 a 0. Tropeço no Sul de Minas pode deixar o campeão brasileiro em quinto lugar no fim da segunda rodada

postado em 02/02/2014 00:00
 (foto: Marcos Michelin/EM/D.A Press)
(foto: Marcos Michelin/EM/D.A Press)

Caldense e Cruzeiro até que fizeram jogo bem disputado ontem à noite, mas não saíram do 0 a 0, no Estádio Ronaldo Junqueira, pela segunda rodada do Campeonato Mineiro. A Raposa chegou a 4 pontos, como o Tupi, mas é superada pelo time de Juiz de Fora no saldo de gols e pode ser hoje ultrapassada por Boa, Atlético e Guarani na tabela. O resultado no Sul de Minas foi o segundo sem gols da Veterana, que obteve o mesmo placar na estreia, contra o Guarani, em Divinópolis.

A equipe do técnico Marcelo Oliveira mostrou as mesmas deficiências da primeira partida, a vitória por 1 a 0 sobre a URT, no Mineirão. Mas, diferentemente do jogo anterior, não conseguiu criar e teve poucas finalizações nos 90 minutos. Já a de Poços de Caldas marcou muito bem e ainda obrigou o goleiro Fábio a se destacar em alguns lances.

Os jogadores celestes deixaram o campo reconhecendo que o empate foi justo. O lateral-direito Ceará destacou a atuação do adversário: ;Temos de ressaltar a boa performance da Caldense, que soube se impor desde o início. Infelizmente, não conseguimos sair da forte marcação. O gramado dificulta um pouco, porque segura a bola. Um ponto está de bom tamanho;. O pensamento de Ricardo Goulart foi o mesmo quanto ao gramado: ;O campo não favoreceu e o empate está de bom tamanho;. Na quarta-feira, o campeão brasileiro enfrenta o Villa Nova, às 19h30, no Mineirão, pela terceira rodada.

A primeira impressão deixada pelo Cruzeiro foi positiva. Logo no primeiro minuto, Willian apareceu bem no meio da área e finalizou duas vezes para defesa de Gilberto. Mas em seguida começaram a aparecer as dificuldades comuns em início de temporada: erros de passe, desacertos no posicionamento e falta de velocidade nos ataques.

A Caldense, com melhor preparo físico, de quem vem treinando há mais tempo, marcava forte, mesmo no campo ofensivo, e tomou conta das ações. Aos 19min, Fábio, que já havia aparecido bem em cabeçada de Marcelinho, fez grande defesa em outra finalização de cabeça, de Luiz Eduardo. O atacante Diney era quem mais dava trabalho à defesa cruzeirense, avançando sempre com perigo pela esquerda. Ele chegou a pedir pênalti numa entrada de Ceará, mas acabou levando cartão amarelo por simulação.

Sem Dagoberto, poupado por causa de cansaço muscular, a Raposa perdeu seu outro atacante titular aos 28min: Borges deixou o campo reclamando de dor na coxa direita. Marcelo Moreno entrou em seu lugar, mas também não conseguiu superar a marcação adversária.

No intervalo, Marcelo Oliveira reconheceu que seu time não estava bem e cobrou: ;Deixamos o adversário jogar. Temos de chegar mais, fazer uma marcação mais próxima, competir mais, porque todo jogo é difícil;. A cobrança deu resultado nos primeiros 15 minutos da etapa final, com o Cruzeiro dominando e mantendo a bola no campo ofensivo, embora sem levar muito perigo ao gol de Gilberto. Apenas o zagueiro Dedé tentou, depois de escanteio cobrado por Éverton Ribeiro.

A Veterana reagiu a partir dos 15min e voltou a dar trabalho a Fábio. Primeiro, o goleiro celeste saiu nos pés de Maxsuel. Na sequência, fez boa defesa em falta cobrada por Ewerton Maradona. Marcelo decidiu então mexer na equipe e pôs Júlio Baptista e Élber para tentar melhorar a criação ofensiva.

A partida continuou disputada até o fim, com as equipes brigando sem sucesso para mexer no placar. Aos 30min, Lucas Silva arriscou de fora da área, Gilberto rebateu, mas ninguém surgiu para aproveitar. Cinco minutos depois, Leo Andrade finalizou da entrada da área, por cima do gol.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação