Argentina quer força extra

Argentina quer força extra

O técnico Alejandro Sabella treina esquema mais ofensivo do que o utilizado na estreia para a partida de sábado, contra o Irã

Renan Damasceno
postado em 18/06/2014 00:00
 (foto: Juan Mabromata/AFP)
(foto: Juan Mabromata/AFP)

Belo Horizonte ; Apesar de o discurso ser ;olhar para o futuro; e se preocupar com o Irã, rival de sábado, às 13h, no Mineirão, pela segunda rodada do Grupo F, a atuação na partida de estreia, sobretudo no primeiro tempo, continua sendo discutida pela Seleção Argentina. O próprio técnico, Alejandro Sabella, depois da vitória por 2 x 1 sobre a Bósnia, no Maracanã, admitiu que o esquema tático não funcionou na primeira etapa, quando optou pelo 5-3-2. A tendência é que o time comece mais ofensivo contra os iranianos.

Desde o retorno do time a Minas, Sabella comandou dois treinos fechados na Cidade do Galo. Ontem, a novidade foi a volta de Rodrigo Palacio às atividades. O atacante da Internazionale ficou de fora da primeira partida por causa de lesão no tornozelo esquerdo e está recuperado. ;Sinto-me bem e creio que, a partir de amanhã (hoje), trabalhe muito mais forte;, explicou o jogador, que espera uma oportunidade no disputado ataque. ;A chance de entrar entre os 11 é menor, já que os titulares são Higuaín e Messi, mas tenho que estar preparado para quando o técnico precisar mudar a formação tática.;

Mesmo com o retorno de Palacio, Sabella não teve todo o grupo nas mãos, já que Angel Di María foi poupado por causa de fadiga muscular e ficou na academia. Ele não é preocupação para o jogo de sábado. Em seu lugar, treinou o volante Enzo Pérez.

Para enfrentar os iranianos, a Argentina deve voltar ao esquema 4-3-3 (ou 4-2-2-2, dependendo da movimentação dos atacantes). No treino de ontem, Sabella manteve Maxi Rodriguez no meio-campo, deixando Fernando Gago novamente na reserva. Com a mudança, o zagueiro Campagnaro, que jogou contra a Bósnia, volta ao banco de reservas. O time que treinou foi Romero; Zabaleta, Fernandez, Garay e Rojo; Enzo Pérez, Mascherano e Maxi Rodriguez; Messi, Aguero e Higuaín.

Barça
Com o retorno de Higuaín ao time titular, a Argentina terá de novo um homem de referência no ataque. Na semana passada, ele chegou a ficar fora de alguns treinos para aprimorar a forma física e jogou apenas 45 minutos na estreia. Ontem, já entre os titulares, foi escalado para a coletiva de imprensa, mas não quis falar com os jornalistas para evitar especulação sobre a sua ida do Napoli para o Barcelona.

Na segunda-feira, Messi afirmou que seria bom ter o companheiro de Seleção na equipe catalã. ;Estou um pouco à margem disso e sem saber o que vai acontecer no futuro em meu clube. Mas, sim, escutei (o rumor) e comentei com ele. Obviamente, gostaria que ele atuasse no Barcelona, porque é um dos melhores jogadores do mundo e nos faria muito bem no clube;, afirmou Messi.

Torcida Sub-20
Do lado de fora da Cidade do Galo, 120 jovens vestidos com a camisa da Argentina aguardam, desde a noite de segunda-feira, uma chance de ver os ídolos. Eles fazem parte do Club Renato Cesarini, uma escola de futebol de base de Rosário, que revelou atletas como Mascherano e Demichelis, hoje na Seleção Argentina. ;Está sendo uma experiência maravilhosa no Brasil e esperamos ver pelo menos um treino;, afirmou Gastón Gomez, 19 anos. Hospedados em um hotel da região, eles enfrentaram, nesta semana, as equipes sub-20 do
Cruzeiro e do Fluminense.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação