Morte no muay thai comove Sobradinho

Morte no muay thai comove Sobradinho

Lutador de 30 anos não resiste a joelhada no queixo durante a prática em academia de Sobradinho. Apesar de o local ser credenciado, o professor da vítima não tem filiação a nenhuma federação da modalidade de luta

» KELLY ALMEIDA » MANOELA ALCÂNTARA
postado em 13/12/2014 00:00
 (foto: Reprodução do Facebook )
(foto: Reprodução do Facebook )
A vítima


Emerson Rafael Santos de Oliveira
; Tinha 30 anos
; Nasceu no Rio Grande do Norte, mas se mudou para Brasília com o pai, ainda pequeno
; Morava com a mãe, de 83 anos, em Sobradinho
; Era servidor público e trabalhava na Fundação Universidade Aberta.
; Tinha namorada




As causas da morte do servidor público Emerson Rafael Santos de Oliveira, 30 anos, estão sob investigação da Polícia Civil. Ele morreu dois dias depois de receber uma joelhada no queixo durante um treino de muay thai em uma academia da Quadra 4 de Sobradinho. Emerson ficou inconsciente logo depois do golpe e foi levado para o hospital. Teve morte cerebral na tarde de quinta-feira, e, por decisão da família, doará os órgãos. A Federação de Muay Thai do DF alerta para os riscos de treinar com profissionais não credenciados. No DF, no entanto, a fiscalização é falha (leia mais na página 20).
Praticante da luta há um ano, Emerson recebeu a primeira graduação no sábado passado. Na terça-feira, durante o treinamento, ficou inconsciente ao ser atingido pelo golpe khao trong (veja a arte ao lado). O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e, no caminho para o Hospital Regional de Sobradinho (HRS), Emerson sofreu uma parada cardíaca de nove minutos, mas chegou vivo à unidade. Logo em seguida, precisou ser transferido para o Hospital de Base do DF por causa de uma hemorragia grave.

Irmão de criação de Emerson, o professor Heron de Sena Filho, 50 anos, disse que a família não quer responsabilizar ou acusar ninguém pela morte. ;Sabemos que todos estão mal com isso. A nossa preocupação, quando a morte cerebral foi detectada, foi decidir sobre a doação dos órgãos. É muito importante, já que ele era tão cheio de vida. Queremos que a vida dele siga com outra pessoa;, contou Sena. Ontem, o corpo passou pela retirada dos órgãos para doação.
Fernando Wigeneski, dono da academia Concept Fit, onde Emerson treinava, explicou que o professor é credenciado à equipe Fibra Fight Team, um grupo de esportes amador. A unidade está fechada, de luto. ;Nós, da academia, estamos comovidos com a fatalidade e solidários à família. Todos ficamos muito abalados;, afirmou Fernando Wigeneski. Ela é credenciada no Conselho Regional de Educação Física (Cref-7).

A reportagem tentou contato com o professor que dava aula para Emerson no momento do golpe e com o rapaz que aplicou a joelhada. Mas, até o fechamento desta edição, nenhum dos dois retornou as ligações ; o educador não é filiado à Federação de Muay Thai do DF nem à Liga Brasileira de Muay Thai Tradicional. A ocorrência da morte de Emerson foi registrada na 13; Delegacia de Polícia (Sobradinho). De acordo com a Divisão de Comunicação da Polícia Civil (Divicom), o delegado à frente da investigação só se pronunciará depois do laudo com as causas da morte.

Cuidados

Para um atleta de muay thai se formar na modalidade, são necessários, em média, sete anos. Mas isso não significa que ele esteja apto a ministrar aulas. A prática funciona como uma faculdade, existe um treinamento específico para ser professor. As federações ensinam o código de ética da arte marcial, primeiros socorros e os princípios do boxe tailandês. ;Arte marcial é esporte, não é como na época medieval, que era usada para guerra, é saudável. Os professores credenciados são qualificados periodicamente para passar esse espírito para os alunos. As pessoas devem desconfiar de professores que incentivam a violência, denunciá-los e procurar outro lugar para treinar;, afirma o presidente da Liga Brasileira de Muay Thai Tradicional e da Federação de Muay Thai do DF, Sandro Marciano.

Segundo ele, não é possível desqualificar um educador que não conhece, mas o fato de não ser credenciado não daria o direito de dar aulas. Sandro ressalta que a joelhada durante o treinamento de Emerson Rafael só é treinada, a título de simulação e de demonstração, com o equipamento necessário, um aparador ou um saco de pancadas. ;Passamos o ano divulgando a prática desportiva, falando sobre o muay thai. Recebemos o mestre tailandês Deaw Patson e fizemos 40 eventos. É lamentável terminar o ano dessa maneira. Não foi um machucado, foi uma vida perdida, uma família destruída;, concluiu.

O atleta Daniel Santos de Aquino demorou sete anos na luta para conquistar o prajied preto (graduação mais alta do muay thai). Campeão sul-americano pela Liga Brasileira de Muay Thai Tradicional, Daniel alerta para os riscos de treinar em locais e com profissionais não credenciados. ;A primeira atitude de um aluno novo é conversar com o professor para saber se vai ter confiança. A partir daí, é preciso saber o histórico do mestre e ter a certeza que a academia é filiada a alguma entidade;, ensina. ;Hoje, muitas pessoas não têm conhecimento e estudo para dar aula e acham que o aluno tem de aguentar porrada mesmo. E a luta não é assim;, conclui.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação