Discurso para a classe média

Discurso para a classe média

Ao iniciar a campanha para ser candidata à Presidência, Hillary Clinton critica Wall Street e promete reformas que protejam os trabalhadores

postado em 14/06/2015 00:00
 (foto: Timothy A. Clary/AFP)
(foto: Timothy A. Clary/AFP)


Na busca por ter seu nome confirmado como candidata do Partido Democrata à Presidência dos Estados Unidos no ano que vem, Hillary Clinton pediu apoio dos trabalhadores e prometeu, caso seja eleita, fazer um governo voltado, principalmente, para a classe média, e não para Wall Street. ;Sou candidata para que a economia esteja a serviço de vocês e de todos os americanos. A prosperidade não pode ser apenas para os dirigentes de empresas ou chefes de fundos de investimento. A democracia não pode estar apenas a serviço dos multimilionários;, afirmou a ex-secretária de Estado de Barack Obama e mulher do ex-presidente Bill Clinton, que participou do evento.


"Talvez não seja a mais jovem entre os candidatos a esta eleição, mas serei a mulher presidente mais jovem da história dos Estados Unidos... E a primeira avó!”

Hillary Clinton, pré-candidata democrata


Milhares de pessoas se reuniram em Nova York para acompanhar o primeiro grande ato de campanha daquela que pode ser a primeira mulher a governar o país. Hillary prometeu uma série de reformas econômicas, sociais e políticas. As propostas, disse, serão apresentadas nas próximas semanas, mas adiantou que incluirão uma reforma fiscal para estimular o investimento das empresas, programas de ajuda aos empreendedores, aumento do orçamento para a pesquisa e transformação do Estados Unidos na ;superpotência das energias limpas no século 21;.

Ela ainda rejeitou, com bom humor, as críticas de que, aos 67 anos, estaria velha para o cargo. Adversários têm ressaltado que apenas uma pessoa, Ronald Reagan, chegou à Casa Branca em idade mais avançada. Ele tinha 69 anos quando foi eleito, em 1980. ;Talvez não seja a mais jovem entre os candidatos a esta eleição;, brincou, rodeada de simpatizantes na Roosevelt Island, pequena ilha no East River, em Manhattan. ;Mas serei a mulher presidente mais jovem da história dos Estados Unidos... E a primeira avó!” Ela também fez graça com o fato de os presidentes ganharem muitos cabelos brancos ao longo do mandato. ;Tenho uma vantagem adicional: ninguém verá meu cabelo ficar grisalho na Casa Branca. Tinjo há anos;, ironizou.

Desafios

A pré-candidata à Presidência chegou ao comício acompanhada pelo marido e pela filha do casal, Chelsea. A estratégia da ex-senadora pelo estado de Nova York é consolidar seu favoritismo na disputa pela indicação dos democratas com eventos maiores. Desde o anúncio da pré-candidatura, em 12 de abril, ela vinha privilegiando pequenas reuniões, em particular nos estados de Iowa (centro) e New Hampshire (nordeste). Segundo uma pesquisa da Universidade Quinnipiac, publicada no fim do mês passado, Hillary teria 57% dos votos de eleitores democratas, muito à frente do senador de Vermont Bernie Sanders (15%) e mais ainda do vice-presidente, Joe Biden (9%), que até o momento não lançou sua candidatura.

De acordo com a consulta, só os republicanos Rand Paul e Marco Rubio representariam uma ameaça para Clinton. Mas o cenário pode mudar muito quando Jeb Bush, irmão de George W. Bush, lançar sua pré-candidatura, o que pode ocorrer amanhã. Outro desafio para Hillary é melhorar sua imagem. Os americanos que não a consideram ;honesta ou confiável; passaram de 49% a 57% entre março e junho, segundo pesquisa da CNN. A desconfiança aumentou depois das revelações de que ela usou um e-mail particular quando foi secretária de Estado de 2009 a 2013, algo proibido por lei, e a publicação de vários artigos sobre possíveis conflitos de interesse em relação aos doadores da fundação de caridade Bill Clinton. Sua imagem é melhor entre os mais jovens.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação